sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Boeing Black: um smartphone Android que se auto-destrói

Quando ouvimos falar da Boeing salta-nos logo à ideia os grande aviões, aeronaves que são o expoente máximo do que toca a tecnologia e segurança. Mas desta vez a empresa norte-americana é notícia pelo lançamento de um smartphone Android, o Black. Este é um smartphone que cumpre à risca as mais apertadas regras de segurança da empresa, a tal ponto que, em caso de violação da informação contida, ele auto-destrói-se!
A Boeing desenhou e produziu este equipamento para que integre os produtos de defesa da empresa e destinam-se para uso dos seus quadros, funcionários e clientes específicos. A capacidade de autodestruição não quer dizer que o smartphone possa explodir ou implodir o seu conteúdo. O que o smartphone faz é eliminar todos os dados armazenados no caso de haver alguma tentativa de violação do smartphone, se, por exemplo, alguém tentar abrir o dispositivo para remover os dispositivos de armazenamento.
Segundo a reuters, o dispositivo traz vários recursos de segurança, como ferramentas de criptografia, plataforma Android personalizada com inclusão de reforçadas políticas de segurança rigorosas e um sistema de monitorização, capaz de bloquear o acesso ao dispositivo quando há alteração indevida de software ou hardware.
Segundo um responsável da empresa:
Não há peças substituíveis no Boeing Black, e qualquer tentativa de manutenção ou substituição de peças irá destruir o produto. O Boeing Black é fabricado como um dispositivo fechado, com epóxi ao redor do chassi e com parafusos, cujas cabeças possuem uma cobertura que identifica tentativas de desmontagem. Qualquer tentativa de abrir o dispositivo, activa funções que apagam os dados e software contidos nele, e o tornam inoperante.
A Boeing revelou já algumas especificações do smartphone, o ecrã é de 4,3 polegadas e conta com uma resolução de 960×540. O processador é um dual-core de 1,2 GHz, e suporte a 4G LTE, Wi-Fi, Bluetooth 2.1 e cartão microSD. Este dispositivo é dual SIM supostamente para poder ter uma rede secreta e outra convencional. Pesa 170g e apresenta 13,25 mm de espessura, 67,6 mm de largura e 131,9 de altura.
Pequeno, robusto, discreto e com bastante usabilidade
Além disso, o Black é modular, ou seja, o utilizador poderá acrescentar dispositivos conforme as necessidades. Na traseira do smartphone há uma porta de expansão para encaixar módulos como um sensor biométrico, antena de satélite ou uma bateria extra (inclusive com carregamento solar).  Também traz uma porta PDMI, que pode ser usada para o ligar noutros dispositivos multimédia.
Este não é um dispositivo para o público em geral, foi talhado para utilizar serviços e software governamental e militar. Numa altura em que vários ramos da defesa norte-americana está a substituir os seus equipamentos BlackBerry, este poderá ser um dispositivo dedicado às necessidades de quem os vai operar.