sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Microsoft removeu 1500 aplicações enganadoras da loja

Um dos maiores problemas que afectam as lojas de aplicações dos sistemas operativos são as aplicações que, à custa de outras de maior sucesso, procuram obter lucro e até disseminar malware.
Depois de ter visto surgir informações sobre a fraca qualidade das aplicações e a presença de situações fraudulentas na Store do Windows e Windows Phone, a Microsoft resolveu  remover mais de 1500 aplicações que não respeitam as novas regras.
windows_store_1

Foi precisamente o surgir de demasiadas situações que davam conta de aplicações que  não eram clones de outras de maior sucesso, e que visavam apenas o lucro, que fez com que a Microsoft alterasse as regras de submissão e aprovação de novas aplicações nas suas lojas.
Estas regras, aplicadas no início deste ano, pretendem acima de tudo evitar situações de aproveitamento e de desconhecimento dos utilizadores para que comprem aplicações que ou são gratuitas ou têm preços inferiores,
As novas alterações às regras de publicação reflectiram a nova política da Microsoft e pretendem facilitar a escolha por parte dos utilizadores. Estas novas regras incidem sobre três pontos fundamentais:
  • Nome – deve ser claro e preciso, para reflectir a funcionalidade da aplicação.
  • Categoria – para garantir apps são categorizadas de acordo com a função da aplicação e a sua finalidade.
  • Ícones – devem ser diferenciados para evitar ser confundido com os de outras aplicações.
Tendo dado algum tempo aos programadores para aplicar essas alterações essenciais, a Microsoft resolveu agora eliminar da loja mais de 1500 aplicações.
Os utilizadores que compraram essas aplicações agora removidas podem contactar a Microsoft e requerer que lhes seja restituído o seu dinheiro.
As próprias regras aplicadas, e que devem ser respeitadas desde o início pelos programadores, ajudam a que novas aplicações não surjam, tendo a Microsoft apenas de encontrar as que estão já publicadas e acessíveis.
windows_store_2
Depois de ter passado pelo período que queria a todo o custo que a sua loja tivesse um número satisfatório de aplicações, tendo inclusive pago aos programadores para que publicassem, é agora hora de eliminar todas as que estão a poluir a sua loja de aplicações.
Estes processos de adaptação são normais nas lojas mais recentes e compete às empresas fazerem as regras que vão impedir o surgimento de aplicações falsa e com propósitos obscuros e contra o pretendido.
A Microsoft está agora a procurar e a remover aplicações que não pertencem á loja

99% dos ataques são direccionadospara a plataforma Android

Trojans bancários que atacam smartphones triplicam em 2014
O número total de Trojans bancários móveis triplicou de Janeiro, alcançando os 4.500 programas maliciosos registados contra os 1.500 conhecidos no princípio do ano.
2014-06_Android-Handy_Malware_1_4C
Segundo os dados compilados pela Kaspersky, este crescimento foi determinado pelo interesse de dinheiro e a cada vez mais activa resistência das companhias antivírus, que obriga aos cibercriminosos  a criar mais Trojans para tentar atingir os seus objectivos.
A Rússia, os EUA e a Ucrânia ocupam os três primeiros postos do top 10 dos países atacados por Trojans bancários móveis, completando a lista países da UE como a Itália (4º lugar), Inglaterra (9º) e Alemanha (10º). A Bielorrússia, a Coreia do Sul, o Cazaquistão e a China completam o ranking com os 5º, 6º, 7º e 8º lugares.
Apesar do aumento de Trojans bancários móveis, registou-se uma queda no volume total do malware móvel detectado, que é 1,7 vezes menor que na primeira parte do ano. Em concreto, a equipa de segurança da Kaspersky Lab detectou no segundo trimestre 727.790 pacotes de instalação, 65.118 novos programas maliciosos móveis e 2.033 novos Trojans bancários móveis.
Facebook
O principal alvo dos cibercriminosos continua a ser a plataforma Android, à qual se dirige 99% dos programas maliciosos móveis. 
Dos estados da EU, aparece no segundo lugar desta lista a Alemanha (6,08% de ataques), seguida na quarta posição pela Polónia (5,02%), com a França a aparecer no oitavo lugar (2,32%). A Rússia mantém-se como o país mais atacado do mundo, acompanhada por nações como a Ucrânia, o Vietname ou o México.
trojans
Na estatística dos objectos maliciosos detectados para dispositivos móveis no segundo trimestre destacam-se as aplicações publicitárias potencialmente não desejadas (27%), seguidas de perto pelos Trojans SMS (22%). Embora a incidência destes dois tipos de ameaças móveis apenas tenha variado, o Risktool subiu do quinto para o terceiro posto, aumentando a sua percentagem no fluxo de malware móvel de 8,6% para 18%. Trata-se de aplicações que são legais em alguns casos (apps publicitárias) mas que são potencialmente perigosas para os utilizadores, já que um uso irresponsável por parte do dono do smartphone pode gerar perdas financeiras.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

HP obrigada a recolher e trocar cabos de energia

hp_recolha_1A HP está com um processo de troca de cabos de energia que estão a apresentar defeitos de fabrico. São seis milhões os cabos que a marca prevê estarem a uso e que terá de recolher e trocar.
Este processo de recolha e troca dos cabos de energia surgiu depois de terem surgido nos Estados Unidos várias queixas de consumidores terem visto estes cabos derreterem ou queimarem.
São 29 as queixas já existentes, a sua maioria proveniente dos Estados Unidos, e que dão conta do defeito que estes cabos têm. 
Dessas 29 queixas duas são de queimaduras ligeiras e 13 de danos em propriedade dos consumidores.
Os cabos acompanharam equipamentos que foram vendidos durante os anos de 2010 a 2012 e são maioritariamente de mini computadores portáteis e notebooks HP e Compaq, bem como para os cabos eléctricos distribuídos com os transformadores de docking stations de outros equipamentos.
A 26 de agosto de 2014, a HP anunciou um programa voluntário de recolha e substituição, a nível mundial, em cooperação com várias entidades reguladoras oficiais, para os cabos eléctricos AC distribuídos em todo o mundo com mini computadores portáteis e notebooks HP e Compaq, bem como para os cabos eléctricos distribuídos com os transformadores AC fornecidos com acessórios como as estações de acoplamento (Docking Stations), vendidos a partir de setembro de 2010 até junho de 2012.
O cabo em causa está identificado com amarca (LS-15) e segundo a HP nem todos os cabos dessa série têm o problema identificado.
hp_recolha_2
A grande maioria dos cabos identificados com o problema estará em utilização nos Estados Unidos e Canadá. ´
Existem no entanto outros países onde podem existir cabos destes em utilização, incluindo Portugal.
Como é natural a HP recomenda aos utilizadores que tenham cabos identificados como tendo o problema que os desliguem de imediato da corrente e que parem a sua utilização.
A HP tem disponível um site para ajudar os utilizadores a identificarem os cabos defeituosos e com indicações de como proceder à sua troca junto da marca. Esse site pode ser consultado aqui.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Como desativar o Filtro do SmartScreen

Abra o Painel de controlo clássico, e seleccione  sistema  e Segurança.


Agora seleccione a opção central de ações

Agora vá  até opção Alterar  as configurações do SmartScreen lá agora poderá desativar  totalmente o filtro SmartScreen e clicar em OK.

´
Após isso o  SmartScreen está desativado do windows 8/8.1

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Playstation Network encontra-se indisponivel

playstation network

Durante o dia de hoje (24/08), vários utilizadores reportaram falhas no acesso à Playstation Network. O problema aparenta afetar todas as plataformas.

Segundo revela o portal ShackNews, a origem dos problemas encontra-se num ataque DDoS, tendo este já sido reivindicado pelo grupo “LizardSquad” a partir do Twitter.
O ataque, além dos servidores da Sony, aparentam igualmente ter como alvos várias outras empresas, nomeadamente os servidores da Blizzard, responsáveis por jogos como o Hearthstone, Diablo 3 e World of Warcraft.

Até ao momento a Sony ainda não comentou esta noticia, sendo que, na página de estado da PSN, o serviço encontra-se online.


domingo, 24 de agosto de 2014

como fazer root do ChromeCast da Google

O Chromecast, tem estado a impor-se lentamente e a conquistar o seu mercado. Aliado a serviços web que podem fornecer os conteúdos que os utilizadores querem e precisam tem estado a mostrar o seu valor.
Tal como outro qualquer dispositivo Android a procura por conseguir contornar todas as imposições colocadas pela Google e assim conseguir fazer root a este dispositivo.
O root no Chromecast não é uma novidade. Poucos dias depois de ter sido lançado pela Google já existiam as primeiras notícias de que estava descoberta a primeira forma de fazer root ao Chromecast.
Para realizarem root ao chrome cast  vão precisar de alguns elementos adicionais ao próprio Chromecast, que deve ter instalada a última versão do seu sistema operativo:

É claro que caso surja uma nova actualização ao software do Chromecast o processo de root tratará de fechar a porta que permite aos utilizadores fazerem root.
Este foi mais um processo desenvolvido em conjunto por várias equipas, que durante meses procuraram encontrar uma falha no sistema operativo que equipa o Chromecast. Os méritos vão para Team-Eureka, GTVHacker e failOverflow.
surface_dongle
Mas a Google pode estar prestes a ganhar um novo concorrente para a Chromecast. Alguns rumores dão certo que a Microsoft estará a trabalhar num dispositivo similar.
Esta dongle da Microsoft, que para já terá o nome HD-10, adoptará o protocolo Miracast da Microsoft e dará a capacidade a qualquer smartphone ou computador de transmitir vídeo ou outros elementos para uma TV.
Dos primeiros registos sabe-se que este dispositivo terá capacidades Wifi, suporte HDMI e uma ligação USB.
O factor que ditará o sucesso desta nova dongle da Microsoft será sem qualquer dúvida o preço. Os 35 euros que permitem a compra do Chromecast são parte do seu sucesso.

sábado, 23 de agosto de 2014

Hackers continuam a expor vários dados do Governo

Entre ontem e hoje outros sites do estado foram atacados e vários dados expostos
Hoje a notícia é actualizada, dando a conhecer que o grupo SlowGov09 expôs muitos mais dados e informações como contactos, email, etc, dados esses que haviam sido, primeiramente divulgados pelo grupo Outside The Law.
Sites atacados:
    • Direcção-Geral da Educação
    • Direcção-Geral de Saúde
    • Ministério do Ambiente
    • Direcção-Geral do Ensino Superior
    • Ministério da Defesa Nacional
    • Procuradoria-Geral da República
    • Direcção-Geral da Administração Interna
    • Direcção-Geral da Energia e Geologia, do PSD Europa
    • Governo Regional dos Açores
    • Junta Freguesia de Alfena
    • PSD Europa
    • Câmara Municipal de Coimbra e Portalegre
    • Entre outros…
23-08-2014 11-11-40
A equipa divulgou todos os dados na sua conta do Facebook e afirma que tem a intenção de “defender o povo e acabar com a corrupção“, indicando ainda que, apesar dos ataques não serem fáceis, conseguem ter acesso aos servidores corruptos.
Relativamente ao ataque do Ministério da Cultura, que dei a conhecer ontem, este foi feito pelo grupo OutsideTheLaw que divulgaram vários nomes, passwords, números de telefone, cargos e NIFs de colaboradores do Ministério.
Ao site Tugaleaks, o grupo indica que este ataque teve “o intuito desta ataque foi mostrar que em pleno 2014 , o site está vulnerável a uma falha muito conhecida , e mesmo assim continuam vulneráveis a tal, e como o Ministério da Agricultura faz parte do governo, aproveitamos a falha no servidor web para nos infiltrar-mo-nos no servidor e roubar todos a informação presente”.
O grupo divulgou igualmente todas as informações na sua página do Facebook.
Contactado, o Ministério da Agricultura, informou que “não temos nenhum comentário a fazer sobre este assunto. Todos os sites que referiu estão e tem estado operacionais nos últimos dias“.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Anonymous Portugal atacam Novo Banco e Banco de Portugal e expões 200 contas de e-mail

Grupo Hacker Anonymous Portugal expõem E-mails.
Como uma demonstração de não concordância pelo facto de o Governo ter intervido no sentido de “salvar” mais um banco privado, o grupo Anonymous Portugal responde com um ataque ao Novo Banco e ao Banco de Portugal.
Segundo a RTP, também o Ministério da Agricultura foi alvo de ataques do mesmo grupo hacker.
10551472_304556796394404_2511249590017556244_o
A notícia foi lançada hoje e dá a conhecer que vários grupos com ligações ao Anonymous Portugal, desenvolveram uma recente operação no sentido de recolher dados do Banco de Portugal e do Novo Banco, nome agora atribuído à “parte boa” do banco BES.
São várias as pessoas que se insurgem com o facto de o Governo ter criado uma espécie de ‘lei à pressa’ com o objectivo de salvar o BES. Desta forma, esta operação pretendeu divulgar vários contactos para os quais os portugueses possam reclamar, tendo então exposto 200 contas de email.
A RTP noticiou ainda que o grupo atacou também o Ministério da Agricultura tendo “roubado” mais de 2700 dados
via Tugaleaks

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

2 Formas de formatar seu dispositivo Android

android_13Com tantos telemóveis e tablets disponíveis no mercado, a tendência de muitas pessoas é venderem os equipamentos anteriores .
Para eliminar os dados do seu Android basta que reponha dados de fábrica.
O Android oferece pelo menos dois métodos para eliminar todos os dados do seu equipamento. 
O primeiro método é efectuado no próprio Android e o segundo é através do Android Device Manager.

Como apagar os dados a partir das Definições

Para apagar todos os dados a partir do Android, basta ir a Definições > Cópia de segurança e reposição e depois escolher Reposição dos dados de fábrica. Depois basta carregar em Repor telefone.
Como apagar os dados via Android Device Manager

Caso não tenha acesso físico ao equipamento pode sempre recorrer ao Android Device Manager. Com esta ferramenta podemos:
  • Apagar todos os dados
  • Alterar a palavra-passe de desbloqueio do ecrã
  • Bloquear o ecrã
Para apagar todos os dados basta seguir os seguintes passos:
  1. Aceder à conta do Google Play
  2. Carregar na roda, no canto superior direito e Escolher Gestor de dispositivos
  3. Escolher o dispositivo
  4. Carregar em Apagar e depois Confirmar

android-device-manager-web

Revelados novos detalhes do serviço de música por subescrição do YouTube

youtube music key

Os rumores sobre um possível serviço de subscrição de músicas da Google não são recentes. No entanto, o portal Android Police revelou um novo conjunto de informações sobre este serviço.

O novo serviço deverá ser apelidado de YouTube Music Key, sendo disponibilizado pela mensalidade de 9.99 dólares, e irá possibilitar o acesso a uma coleção de músicas sem anúncios, assim como com a possibilidade de guardar as músicas offline.

Esta descrição é bastante similar à de outros serviços de streaming por subscrição, incluindo o próprio Google Play All Access. No entanto existe a diferença a nível dos catálogos de músicas que serão disponibilizados.

Além das músicas dos artistas, serão igualmente disponibilizados vídeos de eventos ao vídeo, remixs e covers.

Até ao momento ainda não existe confirmação por parte da Google sobre o lançamento do serviço.
 No entanto os rumores apontam o início de 2015 como a data de lançamento.