segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

NSA escutou conversas do Skype durante anos


nsa_skype_1

Passam já largos meses desde que Edward Snowden revelou ao mundo a forma como a NSA espia não apenas os cidadãos norte americanos mas também de outros países.
Mesmo depois do grande fluxo de informação que foi apresentado ao mundo e que revelou práticas que muitos consideram legais, continuam a surgir informações que revela como todo esta recolha de informação era feita.
A mais recente informação disponibilizada vem agora mostrar que a NSA conseguiu durante muitos anos ter acesso a todas as conversas que eram tidas no Skype.

A informação que agora foi revelada veio da revista alemã Der Spiegel e resulta de mais documentos disponibilizados por Edward Snowden.
Desta vez ficou provado que a NSA desde 2011 que tinha a capacidade de escutar as conversas que eram tidas no Skype, quer as de voz ou as de texto, bem como aos ficheiros que eram transferidos.
Esta prática durou por vários anos e permitiu que esta agência governamental norte americana tivesse acesso a informação que se julgava cifrada e por isso inacessível a terceiros.
De acordo com o Der Spiegel, a Microsoft foi obrigada por um mandado judicial a fornecer à NSA toda a informação necessária para que as conversas e os registos dos utilizadores do Skype pudessem ser acedidas, em tempo real e através de escutas e backdoors.
nsa_skype_2Mesmo após a Microsoft ter revelado por diversas vezes que não forneceu de forma directa essa informação que permitiria o acesso informação dos seus utilizadores e dos seus serviços, acabou por ter de o fazer contra uma autorização legal.
O programa NUCLEON, que fazia parte do PRISM, era o responsável por tratar e processar de toda a informação que era acedida pela NSA e assim obter informação privilegiada e que serviria para espiar os utilizadores.
Da informação apresentada, da qual consta um manual sobre como usar o PRISM para recolher informação directamente do Skype, não ficou claro a quem se dirigia a recolha de informação e que utilização iriam dar à mesma.
A verdade é que esta informação era recolhida e processada em tempo real, o que prova que a NSA teve acesso às chaves de cifra de todas as comunicações do Skype.
Empresas como a Microsoft viram-se assim obrigadas a participar nestes processos, ainda que de forma a cumprirem as imposições legais e que veicularam dos tribunais, sendo obrigadas a fornecer toda a informação para que a NSA pudesse ter acesso a informação sobre as chamadas e dados trocados.
Este caso do Skype é apenas mais um que surge e que mostra que a NSA teve acesso, durante largos anos, a informação que os utilizadores julgavam estar protegida em serviços e empresas.