segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Polícia detém mirones que atacavam webcams na Europa

Numa operação concertada, as polícias da Estónia, França, Roménia, Letónia, Itália e Noruega detiveram 15 suspeitos de ratting.


O fenómeno foi apelidado de ratting. 

E tem nos computadores pessoais o alvo privilegiado e nas webcams a principal ferramenta. O objetivo é, controlar remotamente computadores vulneráveis para poder espiar os respetivos utilizadores através das webcams. Hoje, 15 suspeitos de ratting foram detidos pelas autoridades da Estónia, França, Roménia, Letónia, Itália e Noruega. 


A Agência Nacional de Combate ao Crime do Reino Unido (NCA), que deteve quatro dos suspeitos, explicou que o hackers conseguem levar a cabo a intrusão nos computadores das vítimas através de links para vídeos ou imagens com trojans. 

«Em muitos casos, quem instala inadvertidamente estes trojans não sabem que as suas máquinas estão infetadas» refere a NCA, citada pela BBC.

O ratting, um fenómeno que a NCA diz estar em crescimento, deve o nome às iniciais de Remote Access Trojans (Trojans de Acesso Remoto). 

A Get Safe Online, uma instituição de prevenção aos riscos da Internet apoiada pelo governo britânico, descreve o ratting como uma prática que está em a tornar-se «comum» no Reino Unido.