quinta-feira, 10 de julho de 2014

Windows 7 ficará sem suporte dentro de 6 meses.

Os produtos da Microsoft, quando são lançados, cumprem regras de vigência e estão logo disponíveis essas datas para os utilizadores, quer ao nível doméstico quer ao nível empresarial.
Assim, e dado que estamos já no segundo semestre de 2014, a Microsoft está a alertar os seus utilizadores que alguns dos seus produtos irão deixar de ter suporte base, entre eles está o Windows 7.
imagem_sem_suporte_win7_00_small
Vale a pena saber que o suporte genérico da Microsoft tem vigência de 5 anos. Este suporte contempla correcções gratuitas ao software, actualizações de segurança entre outras evoluções quer gratuitas quer pagas, conforme o tipo de licença e o que nela está contemplado.
O suporte do Windows 7 termina no dia 13 de Janeiro de 2015  incluindo todas as versões das as (Enterprise, Home Basic, Home Premium, Ultimate e Starter).

Mas então o Windows 7 será abandonado como foi o Windows XP?

Não, estamos a falar em assuntos diferentes, o Windows XP “morreu” para a Microsoft, não terá mais suporte nem de segurança nem de ""actualização do sistema"".

O suporte ao Windows 7 será estendido até 14 de Janeiro de 2020, de modo a que os utilizadores possam ainda receber actualizações gratuitas de segurança. Apenas de segurança e não evoluções do próprio sistema operativo.
Findo este prazo, só depois de Janeiro de 2020 é que o Windows 7 passa ao estado do Windows XP, deixa de ter qualquer suporte.
Nesta data, a 13 de Janeiro de 2015, termina também o suporte básico para todas as versões do Windows Server 2008 e 2008 R2 e todas as edições do Windows Storage Server 2008, entre outros produtos como pode ver aqui.
É também relevante o alerta para o fim do suporte para o Office 2010 com Service Pack 1. Este termina a 14 de Outubro de 2014.
São ciclos que se fecham face às metas temporais devidamente esclarecidas pela Microsoft na criação dos seus produtos. Este aspecto tem sido ultimamente mais focado face à resistência que os utilizadores têm mostrado em abandonar o Windows XP e este não ter mais qualquer suporte por parte da Microsoft, o que pode de alguma forma colocar em causa os sistemas de segurança onde estes sistemas coabitam.