sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Chrome vai bloquear instalação de extensões fora da sua Store

Não nos temos cansado de mostrar as iniciativas que a Google desenvolve para tornar o seu browser uma verdadeira fortaleza de segurança e privacidade, protegendo os seus utilizadores contra os perigos que podem encontrar na Internet.
Várias foram as medidas que foram sendo tomadas e agora a Google anunciou mais uma, que também ela pretende evitar que os utilizadores vejam os seus browsers comprometidos.
A partir de Janeiro o Chrome vai deixar de permitir a instalação de extensões que estejam fora da Web Store do Chrome.
chrome_1

A medida agora decidida pela Google pretendem acabar com as situações em que sites maliciosos e com intensões menos claras conseguem levar a que os utilizadores instalem extensões pouco fidedignas e que acabam por prejudicar o comportamento do Chrome e diminuindo a experiência de utilização.
Esta tem sido a maior fonte de queixas dos utilizadores do Windows e a Google resolveu por isso terminar com esta capacidade, limitando a instalação de extensões à sua loja do Chrome.
A limitação que agora foi anunciada será disponibilizada já na primeira versão que surgir no início do próximo ano e será estendida às versões estáveis e às betas do Chrome.
As versões de desenvolvimento, Dev, Canary e Chromium vão manter a capacidade de instalar as extensões de fontes externas à loja do Chrome. Será também possível instalar extensões através de políticas de gestão Enterprise.
Com esta medida a Google pretende aumentar a segurança dos utilizadores, conseguindo evitar que a instalação de extensões se realize fora do ambiente que controla e que gere.
Por esta razão, a Google aconselha todos os que têm extensões alojadas fora da sua loja que as transfiram para lá para que todos possam ter acesso a elas ou, se preferirem, que as alojem mas mantenham anonimizadas e escondidas.
Esta medida, que está apresentada como sendo um factor de incremento de segurança, vem no seguimento de outras apresentadas e que pretendem aumentar os níveis de segurança. As mais recentes medidas limitaram o acesso às passwords do browser no OSX e mudaram a página de alerta em caso sites não fidedignos. Já antes a Google tinha implementado outras medidas.
É com estas medidas de protecção dos utilizadores que a Google consegue ter um browser que se protege e que ao mesmo tempo consegue manter elevados níveis de segurança.
A forte adesão que os utilizadores têm tido a este browser não advém apenas das funcionalidades únicas deste browser, mas também das medidas de segurança que implementa e que disponibiliza.
Homepage: Chrome