quinta-feira, 28 de novembro de 2013

CyanogenMod Installer retirado da Play Store a pedido da Google

A chegada do CyanogenMod Installer à loja de aplicações do Android veio cumprir um desejo antigo. A simples execução de uma aplicação permitia que qualquer utilizador tivesse acesso a uma ROM customizada e adaptada às reais capacidades de cada equipamento, livres de muitas das aplicações desnecessárias.
Mas este sonho durou pouco e a Google deu agora ordens à Cyanogen para retirar da Play Store a aplicação de instalação automática da sua ROM. As causas são as normalmente apresentadas, mas a verdade é que fica muito por explicar.
cyanogen_1

O objectivo principal do CyanogenMod Installer é facilitar todo o processo de instalação de uma nova ROM, permitindo que qualquer utilizador o faça, mesmo sem grandes conhecimentos.
A aplicação prepara, numa primeira fase, o dispositivos para a receber a nova ROM (guardando toda a informação do mesmo) e em seguida inicia a instalação dessa mesma nova ROM.
Este processo, e esta forma de instalação, vieram melhorar substancialmente a utilização desta ROM por utilizadores menos experimentados e por isso com maior receio de estragarem ou inviabilizarem os seus dispositivos.
Depois de ter sido lançada na Play Store em meados deste mês, a equipa da Cyanogen veio agora anunciar que a sua aplicação foi retirada da loja de aplicações do Android.
As razões apresentadas são bastante óbvias. A Google entende que esta aplicação viola as leis da sua loja e por isso requereu que os seus criadores a retirassem da mesma loja.
A Google admitiu que a aplicação é inofensiva por si só, mas ao ao fomentar a perda de garantia por parte dos equipamentos, a mesma não poderia permanecer na loja de aplicações.
Today, we were contacted by the Google Play Support team to say that our CyanogenMod Installer application is in violation of Google Play’s developer terms.
They advised us to voluntarily remove the application, or they would be forced to remove it administratively. We have complied with their wishes while we wait for a more favorable resolution.
To those unfamiliar with the application, it has a single function – to guide users to enable “ADB”, a built in development and debugging tool, and then navigates the user to the desktop installer. The desktop application then performs the installation of the CyanogenMod on their Android device.
After reaching out to the Play team, their feedback was that though application itself is harmless, since it ‘encourages users to void their warranty’, it would not be allowed to remain in the store.
A equipa da Cyanogen anunciou também que espera ainda uma explicação com maior detalhe para entender as razões do pedido da Google e espera que consigam provar que a sua aplicação não deve ser retirada da Play Store.
A Cyanogen vai continuar a manter a aplicação disponível nos seus servidores, para que qualquer utilizador a possa usar, no entanto o processo de acesso à mesma ficou menos facilitado.
A política de publicação de aplicações na Play Store é muito rígida e a Google, como se pode ver, controla periodicamente as aplicações que disponibiliza. Esta situação não é nova e já por diversas vezes sucedeu.
Resta a todos os que ainda não usaram o CyanogenMod Installer que o instalem a partir dos servidores da Cyanogem e que depois sigam o processo normal e simplificado.
Homepage: Cyanogen

Lumia 2520: A publicidade começa com o ataque à concorrência

A Nokia prepara-se para lançar em breve o seu tablet, assente na versão RT do Windows. Esta máquina promete muito e por isso a Nokia começou já a fazer a normal publicidade a este equipamento.
O problema foi mesmo a forma escolhida para dar realce às qualidades do tablet da Nokia. Em vez de começarem pela “positiva”, mostrando o que de melhor tem, a escolha recaiu pela comparação directa com os seus mais directos concorrente.
Lumia2520

Este tipo de publicidade tem sido muito vista no passado recente noutros equipamentos concorrentes e nem sempre foi bem vista. A escolha que a Nokia agora fez revela que este pode ser também um caminho perigoso.
Na verdade não é feita qualquer referencia a nenhum equipamento em concreto, mas as expressões usadas no vídeo de publicidade do Lumia 2520 são por demais óbvias para passarem despercebidas.
As referências a um tablet mais fino que um lápis são sem dúvida uma clara comparação com o novo iPad Air. Existe ainda uma referência a outros equipamentos na frase “um destes já esteve no espaço”.
Ao apresentar os equipamentos da concorrência como tendo problemas, que supostamente o Lumia 2520 não padece e até que os resolve, a Nokia acaba por arriscar muito.
A sua comparação deveria ser feita com o Surface, da Microsoft, que é na verdade o seu mais directo concorrente. As suas características técnicas acabam por ser muito similares, mas a chancela Microsoft poderá dar uma vantagem ao Surface.
Na verdade estes equipamentos estão a ter uma aceitação inferior ao esperado e a jogada da Nokia, ao lançar este Lumia, podem sair goradas.
Quer se goste ou não, este tipo de publicidade tende a atrair todos os que a vêm. E no caso da Nokia até acaba por não ser tão agressiva como outras que se viram da sua nova casa mãe.
São conhecidos os exemplos que a Microsoft usou no passado recente para enaltecer o seu Surface, comparando-o directamente com o iPad e com o que este não pode oferecer.
Homepage: Nokia Lumia 2520

Já podemos pesquisar na Google…sem escrever!

O ecossistema Google tem permitido o surgimento de funcionalidades únicas para os utilizadores. São vários os exemplos de integração perfeita entre os diversos elementos desta empresa.
A mais recente inovação vem na forma de uma extensão para Chrome, que nos permite fazer as nossas pesquisas, sem que tenhamos de escrever um único caractere.
A extensão Google Voice Search Hotword, para Chrome, claro, é a responsável por esta nova funcionalidade!
ok_google_1

A funcionalidade que esta extensão traz para o browser da Google é a mesma que podemos encontrar no Motorola Moto X, e que nos está constantemente a ouvir, à procura de comandos para poder executar.
Neste caso a funcionalidade é muito mais simples e está limitada à pesquisa da Google. Basta acederem à página da pesquisa e dizerem aí o que querem pesquisar, terminando a frase com um simples Ok Google.
De imediato a pesquisa é feita, sendo os resultados apresentados com base no que o browser interpretou.
Para já a extensão tem ainda algumas limitações, como é o caso de apenas funcionar nos Estados Unidos e em idioma Inglês.
Todos os que estão preocupados com a possibilidade de a Google os estar a monitorizar, ouvido todas as vossas conversas, devem ficar descansados pois o Google Voice Search Hotword apenas é activado quando o separador da pesquisa da Google é o que estiver seleccionado. Em todos os restantes momentos não está a recolher informação e nem a ouvir o que é dito.
ok_google_2
Esta capacidade de pesquisa por voz não é uma novidade, pois a Google já o permitia no Chrome. A grande novidade é mesmo podermos dar comandos de pesquisa ao Chrome, sem que tenhamos de interagir com ele pelo teclado.
Basta dizer o que queremos pesquisar, em linguagem natural, e a pesquisa será feita. Simples, prático e eficaz.
Vejam no vídeo abaixo a forma de poderem usar o Google Voice Search Hotword para realizar pesquisas na Google.
Este é mais um passo de gigante da Google para a mudança da forma como nos relacionamos com os computadores e com a tecnologia no geral. Vamos poder colocar questões ao motor de busca que nos dará as respostas para questões simples, ou vamos ter presente a resposta que consultarmos.
Falta mesmo só a Google abrir a mais a utilização desta tecnologia para que os utilizadores passem a interagir ainda mais com as máquinas, sem tocarem ou sequer se aproximarem.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Windows 8.1: Como configurar um proxy?

O Windows 8.1 está de pedra e cal nos utilizadores. Começam a conhecê-lo e a aprender a usar as novidades. Claro que estas novidades alteram algumas das formas de usar o Windows e os locais onde encontramos a informação de sistema.
Depois de vos termos trazido a forma de acederem a informação detalhada da rede, hoje trazemos mais um pequeno guia que achamos importante, para que possam usar o Windows 8.1 de forma mais célere e mais produtiva.
Querem saber como configurar um proxy no Windows 8.1? Vamos a isso!
win_8_proxy_00

Todos conhecem a vantagem de utilização de um proxy no acesso à Internet e também as muitas razões para o deverem usar.
Para além de terem as páginas servidas de forma mais rápida, conseguem controlar melhor o trafego numa organização e filtrar os conteúdos que são acedidos.
Claro que alguns utilizadores, mesmo não querendo usar proxy acabam por se ver obrigados a fazê-lo porque os gestores das suas redes têm estas limitações aplicadas e sem essa utilização o acesso à Internet não é possível.
Por todas essas razões entendemos que a informação sobre a forma de configuração de um proxy é algo que importa ter presente e que pode ser útil a todos.

Como configurar um proxy no Windows 8.1

Comecem então por colocar o rato no canto direito do vosso ecrã, para que a CharBar seja mostrada.
De seguida devem escolher a opção Settings na CharmBar.
win_8_proxy_1
Uma vez seleccionada esta opção a CharmBar irá mostrar toda a zona de definições do Windows 8, com várias opções passíveis de serem seleccionadas.
Devem escolher a opção que se encontra em baixo, junto ao canto inferior direito do ecrã. Falamos da opçãoChange PC Settings.
win_8_proxy_2
Esta nova opção dá acesso a um novo conjunto de possíveis zonas de configuração do Windows, e a opção que procuram é Network.
Escolham-na e acedam a uma nova zona das configurações do Windows 8.1, reservada às opções associadas à rede.
win_8_proxy_3
Dentro da opção Network vão ter várias outras áreas desta zona de configurações. A que procuramos é a que tem o nome Proxy.
Aqui dentro devem activar uma de duas opções. Ambas com o mesmo propósito, mas cada uma com uma forma diferente de ser usada e configurada.
Configuração Automática
Caso queiram que a detecção do proxy na rede seja automática, então devem escolher a primeira opção. Se tiverem acesso a um script automático de configuração de proxy então devem activar também a segunda opção.
Basta que preencham também o endereço do script e está pronto a ser usado.
win_8_proxy_4
Configuração Manual
Se por outro lado têm os dados necessários para uma configuração manual, então a opção a ser activada é a que se encontra mais abaixo.
Aqui devem colocar os dados referentes ao endereço ou nome do servidor de proxy e o porto que irá ser usado.
win_8_proxy_5
Depois disto o vosso Windows 8.1 está pronto a usar o proxy que definiram para aceder à Internet.
É um processo muito simples e que qualquer utilizador pode fazer. Notem no entanto que caso os dados estejam errados ou não tiverem um servidor de proxy para configurar, provavelmente o vosso acesso à Internet não irá funcionar até que desactivem o proxy.
Homepage: Windows 8.1

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

HALLEY O COMETA DO TITANIC

HALLEY O COMETA DO TITANIC 
Na noite de 18 Maio de 1910, pessoas de todo o  mundo saíram para a rua, Thomas Andrews levou a sua esposa grávida para ver o progresso na construção do Titanic e do Olympic, e também para verem uma luz brilhante no céu. Este brilho nos céus de Belfast era o cometa Halley, que aparece a cada 76 anos e que apareceu pela última vez em 1986. 
Um cometa chamado Ison poderá transmitir-nos hoje a mesma sensação que tiveram as pessoas na época da construção do Titanic. Apontado pelos astrónomos como o "cometa do século", Ison prepara-se para iluminar os céus nocturnos do planeta Terra já nos próximos dias. À medida que se aproxima do Sol, o seu brilho aumenta de intensidade e, caso não seja destruído pelo calor ou pelo campo gravitacional solar, o mesmo pode vir a ser a "estrela" do próximo espectáculo celestial. 
Um cometa é um corpo menor do sistema solar que quando se aproxima do Sol passa a exibir uma atmosfera difusa, denominada coma, e em alguns casos apresenta também uma cauda, ambas causadas pelos efeitos da radiação solar e dos ventos solares sobre o núcleo cometário. Os núcleos cometários são compostos de gelo, poeira e pequenos fragmentos rochosos, variando em tamanho de algumas centenas de metros até dezenas de quilómetros. Os cometas mais vistos da terra ou estão na orbita gravitacional da Terra ou do Sol. Os cometas que passam muito próximo da terra, eventualmente, acabam por arder na atmosfera. Aqueles que orbitam o sol, curiosamente não entram o suficiente para se queimarem. Halley foi um astrónomo muito reverenciado, que descobriu o cometa, deu-lhe o seu nome, e previu que ele iria aparecer em períodos de 76 anos. Tão certo que foi visto cinco anos depois da morte de Halley. 
Thomas Andrews disse à sua esposa que o cometa era um bom presságio mas outros diziam que brilhando sobre o Titanic era algo muito mau. Os cometas, em geral, são considerados bons presságios ou ligados a algo de bom que está para acontecer. O mesmo cometa Halley apareceu quando Isaac Newton e Cristóvão Colombo nasceram, e provavelmente era este cometa a estrela dos Reis Magos quando Jesus nasceu, entre muitos outros acontecimentos. Ainda mais irónico... o cometa de Halley voltou em 1986, um ano depois de Robert Ballard descobrir os destroços do Titanic. Quando Andrews e Helen olharam para o céu, o cometa de Halley era apenas um pontinho minúsculo brilhante ao longe, assim como o Titanic se tornou após a colisão no escuro oceano. Cientistas e astrónomos de todo o Mundo anunciaram que a Terra poderia colidir com a cauda do Cometa Halley na noite de 18 para 19 de Maio de 1910, noite essa a que muitos chamam de “A Noite do Fim do Mundo”. Esta ideia provocou o suicídio de algumas pessoas que acreditavam que se a cauda do cometa encostasse à Terra, provocaria o fim do mundo; ou então pior, que os gases que o envolviam eram capazes de envenenar os seres vivos da Terra. Famílias inteiras saíram a rua ao frio para verem o cometa e ficarem na expectativa do fim. A passagem do cometa perturbou a sociedade portuguesa e tornou-se durante meses no grande acontecimento no então Reino de Portugal, através da venda de jornais (como a foto deste post), souvenirs e até músicas. Tal acontecimento só foi suprimido pela implantação da República em Outubro desse ano. Em 2010 para celebrar o centenário da república portuguesa, foi realizado um filme para televisão que relata esses momentos e traz de volta uma das músicas realizadas sobre o cometa nessa época. 

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Ubuntu Touch, o sistema operativo da Canonical para dispositivos móveis, foi lançado oficialmente aquando do lançamento do Ubuntu 13.10 Saucy Salamander.Depois de muitas expectativas, a verdade é que pouco se tem falado desta versão do Ubuntu.
No entanto, esta semana, foi disponibilizado um emulador que permite aos utilizadores do Ubuntu 14.04 trusty Tahr testar o Ubuntu Touch. Saiba como.
touch_07
Actualmente, esta versão do emulador do Ubuntu Touch apenas está disponível para os utilizadores que já tenham o Ubuntu 14.04 trusty Tahr (no entanto, como está disponível o código, podemos sempre compilar para outras versões. O emulador para o Ubuntu Touch foi baseado no emulador para Android.
touch_08
Segundo as informações disponibilizadas na wiki do projecto, o Ubuntu Touch Emulator está funcional mas ainda há algumas pequenas funções a melhorar.touch_09O Powerd e o AppArmor estão desactivos por omissão.
Como instalar o emulador no Ubuntu Touch?
sudo apt-get update
sudo apt-get install android-emulator 
cp -r /usr/share/android/emulator/ ~/ 
cd ~/android/emulator/ ./build-emulator-sdcard.sh 
sudo ./run-emulator.sh
Relativamente as credenciais, devem usar as seguinte:
  • username: phablet
  • password: phablet
touch_06
Apesar deste projecto ainda estar numa fase inicial, dá para ver como é a interface do Ubuntu Touch e também as funcionalidades que este oferece. Experimentamos o emulador numa máquina virtual, mas tivemos muitos problemas para que funcionasse correctamente.A nível de performance, fica muito a desejar.
touch_11
Experimentem e dêm-nos o vosso feedback.

Nexus 5 já chegou a Portugal por 549,90 euros

A LG Electronics (LG) lançou no mercado português, em parceria com a Google, o novo smartphone Nexus 5, depois do sucesso do seu antecessor Nexus 4.
Este dispositivo assinala também o lançamento do novo sistema operativo Android 4.4 KitKat e apresenta-se como o mais fino e rápido smartphone Nexus até hoje.
nexus_5_1

Com um incrível ecrã Full HD IPS de 5 polegadas, o Nexus 5 integra um amplo ecrã, oferecendo uma incomparável experiência de visualização.
Este leve smartphone está disponível nas versões 16GB e 32GB e alia uma alta performance, à funcionalidade e conveniência, graças à combinação do melhor hardware da LG ao software e serviços da Google.

Capturar os momentos mais importantes

A câmara do Nexus 5 inclui a mais recente tecnologia OIS (optical image stabilizer) da LG Innotek, introduzida pela primeira vez no recente LG G2.
Conjugada com uma uma câmara de 8MP, com exposições mais longas e uma significativa redução da distorção, o Nexus 5 tem uma performance incomparável em ambiente de luz fraca.
Este equipamento possui também a aplicação Photo Sphere, tornando fácil a captura de fotografias em série, tornando-as numa única imagem em 360º.
É, ainda, possível criar e partilhar fotografias e vídeo, a partir do conteúdo armazenado no smartphone, com a aplicação Auto Awesome, da Google.
Adicionalmente, o melhorado modo HDR+ do Nexus 5 captura, instantaneamente, várias imagens e aplica um sistema de fotografia computacional que as junta, de forma inteligente e autónoma, numa única e perfeita fotografia.
nexus_5_2

Alta performance e velocidade

O Nexus 5 é o primeiro dispositivo do mundo a incluir o Android 4.4 KitKat, oferecendo a alta performance da Google num equipamento fino e leve.
Com o veloz processador Snapdragon 800 e a tecnologia 4G/LTE, o Nexus 5 incorpora um ecrã Full HD IPS de 445 ppi e a mais recente tecnologia advanced in-cell touch, que possibilita um mais rápido reconhecimento do toque, melhor visualização quando se está no exterior e imagens mais nítidas.
Este conjunto de características estão todas presentes num dispositivo liso, com design moderno que não deixa margem para dúvidas de que é o smartphone premium da Google.
nexus_5_03

O melhor da Google

Embora o Android 4.4 KitKat seja veloz e potente, é de fácil utilização. O novo marcador de números de telefone sugere, automaticamente, que números mais costuma contactar, enquanto o Caller ID da Google faz corresponder o número de uma chamada recebida a uma empresa, mesmo quando este não está na lista de contactos.
Os utilizadores podem ainda enviar e receber mensagem a partir da aplicação Hangouts para Android, que agora permite partilhar também a localização.
Com as funcionalidades Gmail, Chrome, Calendar, Maps, Drive e Hangouts, da Google, o Nexus 5 ajuda os utilizadores a gerir o seu quotidiano com aplicações user-friendly.
Com o Google Now é, agora, fácil realizar pesquisas por comando de voz, e com o Google Play é possível aceder a milhões de aplicações, jogos, vídeos, livros e musicas.
O Nexus 5 já se encontra disponível em Portugal, na versão 16GB, podendo ser adquirido no mercado livre com o PVP de 549,90€.

Especificações técnicas

Vamos testar o Ubuntu Touch?

Ubuntu Touch, o sistema operativo da Canonical para dispositivos móveis, foi lançado oficialmente aquando do lançamento do Ubuntu 13.10 Saucy Salamander.Depois de muitas expectativas, a verdade é que pouco se tem falado desta versão do Ubuntu.
No entanto, esta semana, foi disponibilizado um emulador que permite aos utilizadores do Ubuntu 14.04 trusty Tahr testar o Ubuntu Touch. Saiba como.
touch_07
Actualmente, esta versão do emulador do Ubuntu Touch apenas está disponível para os utilizadores que já tenham o Ubuntu 14.04 trusty Tahr (no entanto, como está disponível o código, podemos sempre compilar para outras versões. O emulador para o Ubuntu Touch foi baseado no emulador para Android.
touch_08
Segundo as informações disponibilizadas na wiki do projecto, o Ubuntu Touch Emulator está funcional mas ainda há algumas pequenas funções a melhorar.touch_09O Powerd e o AppArmor estão desactivos por omissão.
Como instalar o emulador no Ubuntu Touch?
sudo apt-get update
sudo apt-get install android-emulator 
cp -r /usr/share/android/emulator/ ~/ 
cd ~/android/emulator/ ./build-emulator-sdcard.sh 
sudo ./run-emulator.sh
Relativamente as credenciais, devem usar as seguinte:
  • username: phablet
  • password: phablet
touch_06
Apesar deste projecto ainda estar numa fase inicial, dá para ver como é a interface do Ubuntu Touch e também as funcionalidades que este oferece. Experimentamos o emulador numa máquina virtual, mas tivemos muitos problemas para que funcionasse correctamente.A nível de performance, fica muito a desejar.
touch_11
Experimentem e dêm-nos o vosso feedback.

domingo, 17 de novembro de 2013

Problemas com a PS4 marcam estreia da consola

PS4-VendeMomentos após o lançamento da nova consola da Sony começaram a surgir relatos que dão conta de algunsproblemas com a PS4. A maioria diz respeito a uma luz azul intermitente que aparece assim que se liga o aparelho.
As queixas têm aparecido sobretudo em fóruns da Sony e na página da Amazon, e têm em comum vários denominadores:  a falta de sinal de vídeo, áudio e a luz intermitente (que alguns dizem estar relacionada com problemas de sobreaquecimento), mal se liga o aparelho, ou a entrada HDMI, por exemplo.
Em declarações, um representante da Sony disse que se tratam de casos isolados e que as falhas estão dentro do esperado, tendo-se verificado em apenas cerca de 0,4% das consolas entregues aos consumidores. A Sony assegurou ainda que todos os casos serão investigados. Os clientes que tenham recebido Playstation 4 defeituosas podem devolvê-las e aguardar a substituição por uma nova consola ou o reembolso.
É algo comum acontecerem situações como esta  nos lançamentos de novas consoles. Recorde-se por exemplo o caso da Xbox 360 da Microsoft que verificou um problema de sobreaquecimento que mostrava três luzes vermelhas em redor do botão Ligar/Desligar, apelidado de “círculo vermelho da morte”.
PS4 chega à Europa e a Portugal dia 29 deste mês.

Falha no software permite acesso do grupo Anonymous a PC’s do Governo dos EUA

0
O Federal Bureau of Investigation (FBI) alertou esta semana que o grupo de hackers Anonymous tem tido acesso às informações confidenciais do Governo norte-americano desde dezembro de 2012. Uma falha no software terá permitida a onda de invasões que afetou sobretudo o exército e os departamentos de energia e saúde.
Uma falha no software da Adobe Systems Inc terá sido aproveitada pelo grupo para lançar uma onda de invasões, que começou há quase um ano, de acordo com um memorando do FBI, a que a Reuters teve acesso.
O memorando descreve os ataques como “um problema generalizado que deve ser investigado” e afirma que a invasão afetou o Exército dos EUA, o Departamento de Energia, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos e talvez muitas outras agências. Os hackers conseguiram roubar os dados pessoais de 104 mil trabalhadores e familiares do Ministério da Energia e ainda informações sobre 2 mil contas bancárias.
O Governo de Barack Obama escusou-se, para já, a comentar o caso. O grupo Anonymous já tem no seu historial vários ataques a agências governamentais ou contas de redes sociais, por exemplo.

sábado, 16 de novembro de 2013

Governo Português não irá obrigar à adopção de software Livre

…nos serviços do Estado
Como sabemos Portugal atravessa um período económico complicado e todas as medidas podem ajudar na “poupança”. Na proposta de orçamento de Estado (OE) para 2014 (tal como já tinha acontecido no OE de 2013), o Governo previa que os serviços do Estado dessem preferência á utilização de software livre, com o objectivo de reduzir a despesa.
Apesar de tal medida estar fundamentada, a maioria do governo reprovou a obrigatoriedade de utilização de software livre nos nos serviços do Estado.
portugal
O objectivo desta medida consistia em privilegiar a adopção de software livre. Assim, só poderia ser possível adquirir software proprietário quando não existissem alternativas credíveis e/ou o preço do software livre (no geral) fosse superior.
Na proposta de Orçamento do Estado para 2014 podia ler-se no artigo 6.º – Utilização das dotações orçamentais para software informático que:
As despesas com aquisição de licenças de software, previstas nas rubricas «Software informático» dos orçamentos dos serviços integrados e dos serviços e fundos autónomos, apenas podem ser executadas nos casos em que seja fundamentadamente demonstrada a inexistência de soluções alternativas em software livre ou que o custo total de utilização da solução em software livre seja superior à solução em software proprietário ou sujeito a licenciamento específico, incluindo nestes todos os eventuais custos de manutenção, adaptação, migração ou saída.
Para avaliar/comparar os custos…
..as entidades adquirentes podem submeter à concorrência os custos, diretos ou indiretos, inerentes, associados ou conexos à aquisição de software.
A decisão da maioria do governo (PSD e CDS) deita por terra tal medida, que até era considerada ilegal por parte da ASSOFT-Associação Portuguesa de Software, podendo violar as normas da concorrência.