segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Steve Ballmer já se despediu dos funcionários da Microsoft

Steve Ballmer sempre foi conhecido como um orador muito efusivo e com uma capacidade de cativar de forma completa as suas audiências. Este “animal” de palco sempre esteve presente nos melhores momentos da Microsoft, empresa onde está desde (quase) a sua fundação.
anúncio da sua saída, apresentado no final de Agosto, vieram deixar os seus admiradores, os colaboradores da Microsoft e o público em geral em expectativa. Esta saída só se efectivará em meados do próximo ano, mas Steve Ballmer começou já a tratar de se despedir dos seus funcionários.
steve_ballmer_despedida_1

O processo de saída de Steve Ballmer ainda não começou de forma oficial, mas este começou já a tratar de se despedir dos seus colaboradores. Vão ser 12 meses em que deverá tratar de terminar alguns processos internos de reestruturação da empresa, ao mesmo tempo que deverá tratar de abrir os caminhos e para o seu sucessor.
Ainda não existem nomes concretos e oficiais, mas a lista de potenciais substitutos é já conhecida e foi bem detalhada.
O último passo que Steve Ballmer deu, como CEO da Microsoft deverá ter sido a compra da divisão móvel da Nokia.
Mas o processo de abandono da Microsoft vai ser longo e pesado para Steve Ballmer. Foram quase 30 anos que este entusiasta da tecnologia esteve ligado à Microsoft e à sua gestão.
Na passada semana, no encontro anual dos funcionários da Microsoft, que decorreu em Seatle, Steve Ballmer subiu ao palco e, no final da sua apresentação, deixou que os seus sentimentos falassem mais alto e mostrou uma faceta mais sentimentalista, mostrando que a sua saída da Microsoft vai ser muito emotiva e sentida.
O video que mostramos abaixo, e que o site The Verge conseguiu capturar nesse evento, mostra os momentos finais da presença em palco de Steve Ballmer, onde este mostrou a sua faceta mais sentimental.
Tal como sempre foi conhecido, de forma efusiva, sentimental e muito aberta, Steve Ballmer mostrou a todos o que sente por deixar a Microsoft, ao mesmo tempo que mostrou aos empregados da Microsoft que devem continuar a trabalhar de forma empenhada para “a maior empresa do Mundo”
A saída de Steve Ballmer numa altura em que novos desafios estão a chegar vai deixar um pesado fardo ao seu sucessor. A integração da Nokia e os novos Surfaces são apenas duas das frentes que vão ter de ser trabalhadas e resolvidas.
Mas a escolha do sucessor, Stephen Elop, ex-CEO da Nokia, e muitos outros nomes foram avançados, será um processo que será feito com tempo e com toda a calma necessária para que este seja o que melhor vai servir os interesses da Microsoft.
Não será com certeza um Steve Ballmer, com a sua paixão e com o seu empenho, mas deverá servir os interesses da Microsoft de forma tão aplicada como este o fez.

domingo, 29 de setembro de 2013

Os 10 sites de torrents e streaming mais populares em Portugal

Pirate Bay, Wareztuga e Firstrow ocupam o pódio dos sites piratas mais procurados em Portugal. Mas há mais. Alguns têm endereços exóticos; e outro são, quase de certeza, geridos por portugueses.


O Pirate Bay e os sites de pirataria mais populares podem vir a ser bloqueados em Portugal até ao final de 2013, mas é altamente improvável que essa decisão, que depende dos juízes, consiga acabar com todos os endereços similares que permitem o acesso direto a cinema, séries, jogos de futebol, música, videojogos ou livros – quase sempre sem a autorização dos produtores e autores dos conteúdos.
Uma visita pelo ranking da Alexa, relativo a Portugal, permite conhecer, com alguma margem de erro, os 10 sites de partilha ficheiros e transmissão de vídeos em direto ou em diferido (clique na galeria para ver conhecer o Top 10 ou veja no final página).
A análise ao ranking permite confirmar duas tendências: os portugueses não enjeitam alguns dos sites de torrents e stream mais populares a nível internacional, mas o fator de localização também exerce um efeito reforçado, muito por força do hábito local de ver filmes com legendas, que leva a maioria dos internautas a privilegiar versões adaptadas para o português europeu, em detrimento das versões originais sem legendas, ou as dobragens.
O pódio destes sites que os produtores e autores classificam de piratas e que uma multidão de internautas considera ser apenas de livre partilha é um reflexo da mescla de localização e internacionalização: o primeiro lugar é ocupado pelo The Pirate Bay (29º lugar do Ranking Alexa em Portugal), um site onde se encontra todo o tipo de ficheiros e que por isso alcançou o primeiro lugar da popularidade; no 2º segundo lugar do ranking, surge o WarezTuga, que está repartido por dois endereços (68º e 98º lugares no Alexa), permite o acesso a filmes e séries legendados, e tem no currículo o facto de já não aceitar mais inscrições, e de resistir aos raides que têm inviabilizado o acesso aos arquivos e as queixas de associações de autores na Justiça; em terceiro lugar, figura o não menos popular em termos internacionais FirstRow, que permite ver, em direto, os jogos da liga portuguesa e também da espanhola, italiana, inglesa… e provas de várias modalidades.
Os restantes lugares do top 10 refletem igualmente esta mescla de localização e internacionalização. Sites internacionais como Kickass ou Torrentz podem alojar filmes, mas também serão usados para descarregar música, software ou videojogos, entre outros ficheiros. Sites especializados no mercado português, como o BT Next, o LegendasDivx (que apenas funciona apenas como site de apoio que fornece legendas para filmes que os internautas descarregam) ou o FilmesOnlineGrátis têm os filmes como “prato forte”. O que confirma, mais uma vez, que as legendas são um fator determinante em termos de procura.
Os endereços também são reveladores de como funciona este negócio judicialmente acossado pela indústria do entretenimento: a versão do The Pirate Bay tem um endereço com sufixo (.sx) usado numa pequena ilha do Pacífico, que está dependente da Holanda; o Kickass usa o sufixo da Tonga (igualmente uma ilha do Pacífico); o Wareztuga tem um endereço com o sufixo de Tuvalu (.tv) e outro com o sufixo de Montenegro (.me).
O uso de endereços relacionados com estas paragens mais ou menos exóticas poderá estar relacionado com as várias notificações enviadas pelas associações que representam autores, produtores e editores para os serviços especializados no alojamento de sites. Muitos dos sites vão circulando entre os vários serviços de alojamento, até chegarem a um que é conhecido por se recusar a acatar as notificações de remoção das várias associações que representam os autores.
É devido a esta recusa que o Wareztuga se mantém atualmente no ativo, apesar das queixas apresentadas na justiça. O mais popular site de streaming em Portugal tem beneficiado do facto de ter encontrado dois serviços de alojamento que se recusa a “tirá-lo do ar”.
Em contrapartida, as associações que representam os direitos de autor passaram a enveredar pelo envio de pedidos de remoção de ficheiros aos serviços de armazenamento que dão suporte aos sites piratas (BayFiles, Pulocker, entre outros). Os pedidos de remoção dos ficheiros acabam por inutilizar os links que permitem descarregar os ficheiros.
São vários os casos de sites especializados na partilha de ficheiros que operavam no mercado português que acabaram por não resistir à fuga constante das autoridades. Portugal Series, Reformados da Investigação,LegendaTuga são alguns nomes que ainda devem pairar na memória dos internautas portugueses… mas os mais emblemáticos serão provavelmente o BTuga e o Oxe7. Este último endereço, ainda tentou uma segunda vida com a migração para o endereço Moovk, mas acabou por desaparecer perante as pressões. Os registos de audiências do site da Exame Informática revelam que, ainda hoje, há vários internautas que procuram as notícias relacionadas com o Oxe7.
Eis o top 10:
1. thepiratebay.sx: 29º site mais visitado em Portugal segundo o ranking Alexa
2. wareztuga.tv e wareztuga.me: 68º e 98º lugares no ranking Alexa. O Wareztuga é provavelmente o site de streaming gerido por portugueses com maior índice de popularidade
3. firstrownow.eu: o site de dedicado ao streaming de desporto está no 99º lugar do ranking Alexa
4. kickass.to: o sucesso no estrangeiro também se repercutiu em Portugal. 117º lugar no ranking alexa para Portugal
5. torrentz.eu: no 146º lugar do ranking Alexa e um dos mais famosos concorrentes do Pirate Bay no que toca à livre partilha
6. btnext.com: à semelhança do Wareztuga, tem resistido às investidas de autores e produtores de vídeos na justiça. 150º lugar no ranking Alexa
7. legendasdivx.com: um site de apoio a quem usa o formato Divx para ver vídeos. Está no 199º lugar do ranking Alexa
8. filmesonlinegratis.net: tem provavelmente o nome mais sugestivo deste top 10. 247º lugar no ranking Alexa para Portugal
9. extraTorrent.com: outro gigante que veio do estrangeiro. Está no 255º lugar do ranking Alexa
10. free-tv-video-online.me: posicionado num pouco significativo 362º lugar do Alexa, é o site que fecha este top 10

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Pirate Bay em vias de ser bloqueado em Portugal


Até ao final do ano, vai dar entrada no Tribunal da Propriedade Intelectual (TPI) uma providência cautelar com o objetivo de obrigar os operadores de telecomunicações e ISP a aplicarem filtros que impedem o acesso aos maiores sites de pirataria a partir de Portugal.
A FEVIP, GEDIPE e MAPINET vão apresentar um processo no TPI com o objetivo de obrigar os operadores, ISP e outras empresas que providenciam ligações à Net, a aplicarem filtros tecnológicos que impedem o acesso aos sites de partilha e streaming de vídeos mais populares em Portugal. O Pirate Bay é um dos alvos escolhidos. A este nome emblemático da livre partilha de ficheiros deverão juntar-se os sites de conteúdos piratas mais procurados em Portugal. O que, avaliando pelo ranking Alexa, torna os sites Wareztuga, BTNext ou FirstRow em possíveis alvos de bloqueio.
Caso o TPI aceite a providência, será a primeira vez que os operadores de telecomunicações aplicam filtros tecnológicos a sites que veiculam pirataria no mercado português.
«Temos ainda de resolver algumas questões técnicas e jurídicas, mas prevemos entregar esta providência cautelar no TPI até ao final de 2013», confirma Paulo Santos, presidente da Associação Portuguesa de Defesa de Obras Audiovisuais (conhecida como FEVIP) e diretor-geral da Associação para Gestão de Direitos de Autor ,Produtores e Editores (GEDIPE).
Ao que a Exame Informática apurou, a filtragem de endereços de Internet classificados como piratas deverá ser feita com base nos números de IP usados em Portugal. Com este processo, os operadores conseguem a impedir de forma automatizada o acesso a sites piratas a partir do País. Paulo Santos lembra que a filtragem de conteúdos já demonstrou ser eficaz no estrangeiro (no Reino Unido a filtragem de sites piratas e pornográficos já está a ser aplicada) e também em Portugal. «Hoje, os operadores de telecomunicações e os ISP usam filtros similares para impedirem o acesso a sites com conteúdos pedófilos ou que promovem a violência ou o racismo», acrescenta.
Como é que os operadores de telecomunicações e os ISP vão reagir a esta providência cautelar? Paulo Santos admite que a questão pode ser delicada, nalguns casos: «(A providência cautelar) pode ser desconfortável para os ISP, mas não são eles os alvos da nossa ação, nem nada nos move contra eles. Os nossos alvos são apenas os sites que disseminam conteúdos ilegais».
O responsável da FEVIP e da GEDIPE nega que a providência cautelar seja uma limitação à liberdade de acesso à informação dos portugueses e garante que a Inspeção Geral de Atividades Culturais (IGAC) também poderia tomar uma iniciativa similar junto do Ministério Público, a fim de garantir o respeito dos direitos de autor na Internet. «Como as autoridades não atuam, temos de ser nós a solicitar o bloqueio do acesso a estes sites», refere Paulo Santos.
O responsável das duas associações está convicto de que o TPI vai aceitar a providência cautelar: «Penso que a decisão dos tribunais irá nesse sentido. Claro que pode haver sempre questões processuais, mas temos a razão e o direito do nosso lado».
Paulo Santos admite ainda que outras associações que representam autores e produtores de conteúdos possam vir a apoiar a providência cautelar que deverá ser entregue no TPI até ao final de 2013.

Esta noticia me faz pensar ONDE ANDA A NOSSA LIBERDADE 
Cada um tem de andar por onde quer não tem de estar limitado mas que se há de fazer os animais dos políticos não têm mais nada a fazer que lixar o povo 

BlackBerry vai ser comprada por 4,7 mil milhões de dólares

A BlackBerry e a Fairfax Financial assinaram um acordo para a compra da marca de smartphones por 4,7 mil milhões de dólares. Cada acionista deverá receber nove dólares por ação.

O anúncio do acordo levou à suspensão das compras de ações da BlackBerry nos mercados financeiros. Até 4 de novembro, a Fairfax Financial deve conseguir terminar a compra da BlackBerry, segundo oEngadget. Os montantes do negócio devem chegar, aproximadamente, aos 3,5 mil milhões de euros.A Fairfax já era a maior acionista da empresa e o CEO Prem Watsa afirma que «esta transação vai abrir um novo capítulo excitante para a BlackBerry, os seus clientes, operadoras e empregados».O CEO da BlackBerry Thorstein Heins ainda não se pronunciou sobre o acordo, mas sabe-se que a empresa terá algum tempo ainda para procurar outro comprador, caso assim o deseje. Uma vez que o entendimento entre as duas firmas está assinado, se a BlackBerry optar por outro comprador, terá de indemnizar a Fairfax.

StartIsGone – Sim, pode desabilitar o Botão Start no Windows 8.1

A Microsoft, com o lançamento do Windows 8.1, voltou a mudar o seu sistema operativo e deu aos utilizadores algumas das funções que ele mais pediam que voltassem.
A mais pedida e a mais desejada era sem dúvida o botão Iniciar, e a Microsoft voltou a colocá-lo no Windows, se bem que de forma um pouco diferente do que seria esperado.
Mas agora que o 8.1 está prestes a chegar, surgem ferramentas que voltam a mudar o comportamento do botão Iniciar, removendo-o do Windows. O StartIsGone é a primeira ferramenta que vos apresentamos.
StartIsGone_1

O StartIsGone vem trazer de volta para o Windows 8.1 o comportamento que tínhamos no Windows 8 e que permitia que com o aproximar do rato do canto superior esquerdo tornava visível o botão de acesso à interface Modern.
Não deixa de ser curioso o surgir desta aplicação, uma vez que foram meses a surgirem aplicações que faziam exactamente o oposto e que traziam de volta o botão Iniciar. No entanto não deixa de ser útil a todos os que tinham já mecanizado os procedimentos do Windows 8 e a sua forma de ser usado.
Ao correrem esta pequena aplicação, portátil, vão conseguir assim esconder o novo botão branco que a Microsoft colocou na barra de tarefas e que dá acesso à Interface Modern.
Se o tiverem activo passam a ter de colocar o rato nessa zona para poderem aceder a todas as aplicações Modern e aos Tiles que tenham no novo Desktop.
O ícone do StartIsGone fica alojado na zona de notificações e é aqui que o podemos controlar. As opções são reduzidas e permitem apenas que adicionem o StartIsGone ao arranque do Windows e que escondam o ícone da aplicação.
StartIsGone_2
Para usarem o StartIsGone, depois de o descomprimirem, devem escolher qual a versão do vosso SO adapta. Estão presentes uma versão 32bits e outra de 64bits.
Vejam no vídeo abaixo a forma de usar o StartIsGone e o que ele traz de novo ao Windows.
Agora que os utilizadores começam a usar o Windows 8 e a preparar-se para o Windows 8.1, com todas as suas novidades, é curioso que estas ferramentas comecem a tomar o seu lugar a surgirem para, mais uma vez, mudarem o Windows e a sua interface.

Microsoft apresenta Surface 2

A Microsoft apresenta um novo trunfo para convencer o mundo que o seu tablet Surface é de facto uma aposta a seguir no mundo da computação móvel.
Desde a apresentação oficial da primeira versão, muitas alterações já se fizeram na estrutura que concebeu este projecto e agora está novamente a sufrágio o tablet com Windows RT e Windows 8 concebido pela empresa americana para o segmento doméstico e empresarial.
São várias as novidades apresentadas, tanto ao nível estético como estrutural. Vamos conhecer de perto as novidades apresentadas no evento que decorre em na cidade de Nova York.

A Microsoft optou por não disponibilizar live stream do evento mas vamos deixar as novidades seguindo as imagens e comentários da The Verge e levar um pouco do que será esta nova face do Surface a da Microsoft.
O evento está a ser liderado pelo Vice Presidente da Microsoft Surface Panos Panay. Este subiu ao palco para dar a conhecer todas as novidades
Surface Pro 2
Começou por marcar este evento, trata-se de mostrar o Surface PRO 2, ”let me introduce you Surface Pro.”
Frisou que não era a ideia deles reinventar a roda mas que pretendiam fazer algo melhor que o que já haviam apresentado neste segmento.
Começou por mostrar basicamente um produto idêntico mas iniciou com o ecrã. Este ecrã é um ClearType HD que traz 46% de mais precisão nas cores que o anterior. Passaram também o som para um outro nível, incrementaram o sistema Dolby neste novo Surface Pro.
Mas há mais especificações que faz com que este Surface seja 95% mais rápido que muitas máquinas (laptops) actuais no mercado. O desempenho gráfico sofreu um incremento de 50%.
Ao nível do desempenho geral da máquina, este Surface é 20% mais rápido que a versão anterior. O equipamento está com melhores aspectos técnicos em termos de visualização do ecrã, o que melhora a utilização em termos profissionais em muitas áreas. Panos também frisou que em termos de performance da bateria, este tem 20% mais tempo útil de vida que o anterior.
No seu interior bate agora um coração Haswell que foi uma das apostas para melhorar o consumo de energia. Em termos de arrefecimento, o produto está também mais optimizado e mais silencioso, o que poderá passar para o utilizador a sensação correcta que este aquece menos.

Em cima o vice presidente para o produto Surface mostra um Power Cover que tem uma bateria de 30wh auxiliar.
Agora pode usar o Surface todo o dia que terá bateria para tal, diz o responsável da Microsoft. Para frisar a qualidade dos materiais Pano refere que “It is the most productive, professional tablet in the world.”.
As Dock Station trarão um aumento de conectividade ao Surface Pro 2, pode assim ter 3x USB 3.0, 1x USB 1.0, Mini DisplayPort, Ethernet, Audio in, Audio Out, e ligação à rede eléctrica. Além disso a doca permite ligar dois monitores.
Panos apresenta dois tipos de covers para este novo Surface. Panos mostra a cover lilás, rosa, azul e preta. Orgulha-se da espessura da cover e refere “It’s exactly 1mm thiner than the last Type Cover.” É significativo tirar um milímetro ao que já era fino e elegante.
Panos afirma que agora duas são quase a espessura de uma, na versão anterior, mas… esperem que só no próximo mês terão estas covers.
Estão em resumo até agora sabe-se que o Surface 2 tem melhor ecrã, melhor performance e novas e melhores covers. 75% mais bateria que dura o dia todo. São os pontos chave para já. Panos refere que ”What I believe is the most powerful tablet for professional use in the world.”
Isto foi o que disseram do Surface Pro 2
Agora o Surface 2 (RTM)
Este é o update num produto que o utilizador espera que aconteça. O Surface RT necessitava de uma lavagem e ela acontece.
“We now move to the next-generation of Surface. The vision to help people get more done. To not only love the device you’re using, but to know you can be so productive with it.”
A nova aposta da Microsoft veste-se de prata e está mais rápido e mais apetecível, segundo o vice presidente da Microsoft. Full HD e um incremento “dramático” no processador.
Com o tom de prata, este novo Surface 2 tem um aspecto com dois tons de cinza prata mas tem bom aspecto, segundo Panos, este será o tablet que se espera que todos queiram usar.
O ecrã deste produto é um ecrã 1080p ClearType. O produto está mais leve e mais fino.Este produto será lançado com o Windows RT 8.1

Panos dá a conhecer que no ano passado, quando lançaram este produto, até aos dias de hoje, já nasceram 10,000 apps dedicadas. Este ano o número é outro 100 mil apps disponíveis na Windows Store.
Agora são referidos alguns produtos da empresa para este segmento, entre eles o Outlook RT no Surface 2. Também toda a interacção com o SkyDrive, onde poderão colocar documentos, músicas, filmes e fotos.
A Microsoft traz também novidades no que toca ao Skype e às chamadas internacionais com algumas vertentes gratuitas.
So Microsoft is bundling in free Skype Wi-Fi hotspots with free international calling. Great for Skype users.
Panos refere que a segurança também é uma preocupação mas refere que todos os dados estão salvaguardados com a tecnologia de encriptação Bitlocker.
O Skydrive será agora a ponte entre o dispositivo e os conteúdos. Se perderem o tablet facilmente poderá ser restaurado o seu perfil usando o SkyDrive, algo que já é conhecido noutras marcas e que agora chega à Microsoft
Para promover estes serviços a Microsoft está a oferecer 200GB de espaço no SkyDrive por 2 anos na compra de um Surface 2.
Este terá um preço de 449 dólares.
A Cover é de facto muito interessante em termos tecnológicos. Esta Touch Cover 2 tem 1092 sensores, enquanto a Touch Cover 1 apenas tinha 80 sensores.
Os produtos estarão disponíveis a 22 de Outubro em 21 lojas.
A Microsoft lançou também uma app especial em conjunto com a Xbox Music, esta permite misturar música.
O Surface 2 terá o preço de 440 dólares e o Surface Pro 2 terá o preço de 899 dólares. O Surface RT mantém nos 349 dólares.
O Surface Pro 2 vem equipado com variáveis configurações.
  • 64GB de armazenamento, 4GB RAM
  • 128GB de armazenamento e 4GB RAM
  • 256GB de armazenamento e 8GB de RAM
  • 512GB de armazenamento e 8GB de RAM.
Panos mostra que a Microsoft criou mais ecossistema e está apetrechada com argumentos fortes para o mercado doméstico e profissional:
“It shows you us bringing software, services, and devices together. This is a massive step towards that evolution.”
Para finalizar resta-nos esperar pelos equipamentos que, tanto o Microsoft Surface Pro 2 como o  Surface 2 chegarão a Portugal no dia 22 de Outubro, e depois testar cada um deles

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Produtores de vídeos pediram remoção de 12.200 links no primeiro semestre



Três entidades que representam e autores e produtores de vídeos em Portugal solicitaram, no primeiro semestre de 2013, a remoção de 12.219 links que, alegadamente, davam acesso a cópias ilegais de filmes, séries ou videojogos. Menos de metade dos links foi alvo de remoção

Não é só o Wareztuga que é alvo dos pedidos de remoção de links efetuados pela FEVIP, GEDIPE e MAPiNET. Na primeira metade de 2013, as três associações que têm cultivado ódios de estimação entre produtores e consumidores de sites piratas solicitaram a remoção de 12.219 links que alegadamente não respeitavam os direitos de autor em vigor.Menos de metade desses pedidos de remoção foram acatados: segundo as três associações, apenas 5617 dos links redundaram na remoção dos links. Do total de pedidos efetuados, os filmes ocupam a maior fatia (6053 links); sendo seguidos por um conjunto de links relativos a conteúdos não especificados (2701), jornais (985), jogos para a PlayStation (692), e música (484).Na lista de pedidos removidos pelos profissionais das três associações, também constam software, séries, jogos para consolas Nintendo e Xbox, revistas e livros. Os pedidos foram enviados para 512 sites ou serviços de alojamento (nacionais e internacionais).Os responsáveis do Movimento Cívico Anti Pirataria na Internet (MAPiNET), a Federação de Editores de Videogramas (FEVIP), e a Associação para a Gestão de Direitos de Autor, Produtores e Editores (GEDIPE) acreditam que, em 2013, o total de links piratas que vão ser removidos da Internet deverá superar o registado no ano passado. Para esse crescendo, deverão contribuir os pedidos de remoção que os profissionais das três associações enviaram recentemente para alguns serviços de alojamento que suportam os links do Wareztuga (e que não foram contabilizados nos números do primeiro semestre de 2013).

Microsoft corrige falha séria do Internet Explorer 8 e 9

Uma vulnerabilidade no browser da Microsoft permitia a atacantes executar código dentro da sessão do Internet Explorer. Ainda não se conhecem muito bem os contornos dos ataques, mas a empresa já lançou uma correção temporária.

O Fix It é um patch para o Internet Explorer e destina-se a evitar os ataques que foram revelados e que estão associados ao IE 8 e 9. De acordo com o ArsTechnica, esta falha permite a execução de código remotamente e o redireccionamento do utilizador para outros sites perigosos. Sabe-se que os atacantes exploram a forma como o IE acede a um objeto na memória que tenha sido apagado ou que não tenha sido bem alocado.

A Microsoft recomenda que todos os utilizadores procedam à instalação desta atualização, especialmente aqueles que usam o Internet Explorer para aceder regularmente à Internet. 

Touch ID do iPhone 5S pode ser facilmente contornado

…basta imprimir numa película de silicone a impressão digital do utilizador!
O iOS 7 chegou ao público na semana passada e tem estado a ser explorado, ao máximo, por todos os utilizadores. Todos querem conhecer em detalhe e pormenor tudo o que este novo sistema operativa móvel da Apple tem para oferecer e também testar todos os truques.
Fruto dessa análise, têm surgido a público algumas falhas que, se aproveitadas, conseguem dar  acesso a áreas do iOS 7 que não eram supostamente permitidas e também a possibilidade de serem realizadas operações que estavam “limitadas“, em situações normais.
A mais recente descoberta não afecta directamente o iOS7 mas sim um dos mais recentes equipamentos da Apple, o iPhone 5S e o seu leitor biométrico, o Touch ID.
touch_id_1

O Touch ID permite que, através da leitura de uma impressão digital do utilizador, possam desbloquear o equipamento, servindo como um método de  autenticação segura.
A Apple já tinha alertado que este sistema ainda não era perfeito, mas nada apontava que este tivesse uma vulnerabilidade tão básica (apesar do Touch ID envolver tecnologia de ponta).
O alerta da Apple dava conta da possibilidade deste sistema não funcionar em situações em que os dedos dos utilizadores tivessem cortes ou suados, evidenciando que caso a leitura não fosse perfeita, o acesso ao iPhone 5S seria impossível.
Tendo como objectivo encontrar vulnerabilidades no Touch ID, o grupo de hackers Chaos Computer Club veio provar é que osensor biométrico consegue ser contornado com o recurso a uma simples impressão digital recolhida num copo e passada para uma película de silicone.
O processo envolve a recolha de uma fotografia de 2400 DPI da impressão digital  e a sua posterior impressão numa película de silicone, com uma resolução de 1200 DPI, impressa a laser.
Com esta película disponível, basta colocá-la no leitor Touch ID do iPhone 5S e o acesso a este é autorizado.
O Chaos Computer Club disponibilizou um vídeo onde mostram o funcionamento do processo descrito e a forma como o iPhone 5S e o Touch ID podem ser ludibriados.
Este era um problema que muitos esperavam que surgisse, pois é uma situação que acontece nos leitores de impressões digitais que existem actualmente .
No caso do Touch ID do iPhone 5S, por este ter uma resolução maior na leitura, apenas obrigou a que a imagem usada para contornar o sistema tivesse também uma resolução maior.
Esta falha, apesar de não ser das mais graves que podem ser descobertas, mostra no entanto algumas fragilidades no Touch ID que a Apple apresentou como sendo seguro e capaz de implementar uma camada adicional de protecção nos seus novos dispositivos.
As preocupações de segurança têm estado a centrar-se mais na eventualidade de acesso às impressões digitais dos utilizadores por hackers, mas a Apple garante que este é virtualmente impossível pois o que é guardado não é a própria impressão mais sim uma representação matemática da mesma.
Depois de uma semana de sucessos e de apresentação de novidades importantes, estas falhas começam agora a deixar alguma sombra sobre o que Apple trouxe para os seus clientes. Até ao momento, a Apple ainda não confirmou/comentou esta falha de segurança grave.

sábado, 21 de setembro de 2013

Descoberto novo problema grave no iOS 7

O iOS 7 tem estado debaixo de fogo, pelo bom e pelo mau argumento. Desta vez apareceu um novo problema, 2 dias após ter sido apontada uma falha grave de segurança.
Agora o problema prende-se com permissões que deixam fazer chamadas mesmo sem desbloquear o equipamento.
ios7_bug

Se o problema anterior requeria uma combinação de teclas para dar acesso à câmara fotográfica do iOS7 e às aplicações que os dispositivos tinham a correr, este novo problema é muito mais simples de executar.
Também é diferente o acesso que é dado nesta nova falha descoberta. Na verdade nem é dado acesso a qualquer informação ou interface do dispositivo que corre o iOS7, mas é dada a possibilidade de fazer chamadas para qualquer número pretendido.
O bug apresentado na sexta feira permitia uma entrada no sistema através da interface de chamadas de emergência a que temos acesso quando o iOS está bloqueado por código. A forma de executar e usar a falha é de tal forma simples que em poucos segundos vão poder estar a fazer chamadas para qualquer número que pretendam.
Para a testarem, e apenas pode ser acedida com o telefone bloqueado por código, devem aceder à área de chamadas de emergência e aí dentro podem ser marcado o número pretendido.
Depois deste passo devem carregar repetidamente no botão de chamada, verde, até que o telefone bloquei e apareça o logotipo de Apple a branco, como se este tivesse ficado bloqueado ou com problemas. Na verdade, se encostarem o telefone ao vosso ouvido vão ouvir que a chamada se está a realizar e pode ser usada.
O vídeo abaixo, disponibilizado pela pessoa que descobriu o bug, explica de forma visual a forma como este pode ser reproduzido.
Dos testes realizados até agora o problema pôde ser reproduzido no iPhone 4 e 5. O Pplware repetiu o problema e constatou que ele é extremamente simples de usar.
Tal como na falha anterior, também este requer acesso aos terminais para que possa ser explorado. É uma falha grave, tanto mais que este sistema operativo esteve em testes, alargados ao público, durante vários meses.
Se explorada pode ser usada por qualquer pessoa para realizar chamadas, para qualquer destino, não sendo dado acesso a quaisquer dados.
Acredita-se que a Apple esteja já a trabalhar na resolução deste problema e do que anteriormente tinha sido descoberto. Não existe, contudo, para já qualquer declaração da Apple sobre estas duas situações descobertas nos últimos dias.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

iOS7 tem falha grave…

… que permite acesso a fotos em modo bloqueado
Quem não conhece o IOS 7 a esta altura? Este é o sistema operativo do momento e enquanto uns experimentam as novidades…outros exploram o sistema em busca de falhas/vulnerabilidades. Com apenas 1 dia após o lançamento oficial, há já quem tenha descoberto uma falha grave que permite o acesso a fotos, lista de aplicações a correr, e muito mais.
ios7_02
Control Center permite o rápido acesso aos comandos e apps que gosta de ter à mão…é bem verdade! Com a implementação desta funcionalidade, que está disponível mesmo no modo bloqueado, a Apple acabou por dar um “tiro” na segurança, e criou um buraco que permite aceder a fotos, à lista de aplicações a correr…e muito mais, mesmo sem a necessidade de se autenticarem no iPhone.
De referir que o acesso às fotos, permite que partilhem as mesmas via e-mail, Mensagem, redes sociais, etc.
ios7_01
Mas como aceder as fotos com o iPhone bloqueado?
O “hack” é muito simples. Na prática, o utilizador só tem de aceder à câmara fotográfica em modo bloqueado e depois voltar ao ecrã principal (de referir que desta forma a Apple protegeu o acesso às fotografias). De seguida, deve abrir o Control Center, escolher, por exemplo, a aplicação temporizador e pressionar o botão de desligardurante algum tempo…em seguida deve carregar em Cancelar e de imediato dar dois cliques no botão iniciar. O utilizador passa passa a ter acesso à lista de processos, onde se encontra a câmara…e aí tem acesso já às fotografias e funcionalidades associadas.
Veja no video passo a passo do hack

Aqui está o primeiro motivo para a Apple lançar rapidamente o primeiro update para o iOS7. Esta é uma falha grave de segurança  que põe ” a nú”, todas as nossas fotos e screnshots. Até ao momento não se sabe se a partir deste hack é possível aceder a outro tipo de informação