sexta-feira, 28 de junho de 2013

Wikipedia confirma que vai desligar serviços por 24 horas

O aviso estava lançado e os rumores davam como certo que certos sites iriam para por 24 horas para protestar contra a lei contra os chamados “pirataria” da propriedade intelectual nos EUA e conhecida como SOPA (Stop Lei Pirataria Online).
Os rumores davam como certos que no próximo dia 23 de Janeiro muitos serviços e sites da Internet iriam desligar os seus servidores para protestarem contra essa lei, mas a não havia certeza se essa acção seria ou nao levada a cabo. A Wikipedia levou a ideia mais longe e antecipou para a próxima quarta feira o seu apagão.

Esta decisão foi apresentada pelo fundador da Wikipedia, Jimmy Wales, na sua conta do Twitter. A mensagem onde Jimmy Wales apresentou o corte previsto para o serviço foi dada de uma forma quase cómica.
Essa mensagem alertava todos para a necessidade de recolherem toda a informação de que necessitam com urgência pois a Wikipedia ia iniciar o seu protesto contra a SOPA
Student warning! Do your homework early. Wikipedia protesting bad law on Wednesday!
Segundo Jimmy Wales explicou também pela sua conta do Twitter, este corte afectará apenas a versão inglesa da Wikipedia.
O corte está planeado para ter inicio na madrugada da próxima quarta feira, pelas 05 horas, e terminará na quinta pela mesma hora.
Vão ser 24 horas em que os Internautas se vão ver privados de uma das principais fontes de informação que está na Internet.
Jimmy Wales esteve bastante activo no Twitter a esclarecer todos os utilizadores sobre as motivações e a forma como este corte irá ser feito, mas acabou por expressar a sua opinião de forma muito efusiva.
Espero que a Wikipedia derreta os sistemas telefónicos em Washington na quarta-feira. Digam a toda a gente que conhecerem!
Para além da Wikipedia espera-se que outros serviços, tal como o Reddit acompanhem este apagão e mostrem às autoridades norte americanas que estão contra a SOPA e tudo o que ela representa.
Vejamos até que ponto este corte nos vai afectar. Apesar de ser apenas na versão inglesa, existem ainda muitos conteúdos que estão exclusivamente em inglês e como tal deverão estar inacessíveis.
Depois da Wikipedia vejamos que outras grandes empresas vão ter a coragem de exprimir o seu descontentamento desta forma e com esta veemência!

Firefox vai ter uma versão para empresas

Os ciclos de desenvolvimento dos browsers que estão no mercado estão a sofrer verdadeiras revoluções. Com novas versões a sair em períodos muito curtos e com o acesso a versões de teste os utilizadores conseguem ter acesso a novidades e actualizações de segurança em espaços de tempo muito curtos.
No entanto estas versões trazem um problema para todas as empresas que usam esses browsers e desenvolvem aplicações em cima deles. Por outro lado as extensões deixam de ter suporte ao surgirem novas versões do browser. Para evitar estes problemas, a Mozilla decidiu que irá ter uma versão do Firefox dedicada a estes ambientes.



Num artigo recentemente publicado no blog da Mozilla, Jay Sullivan, anunciou que o que era até há poucas semanas uma ideia para eliminar os problemas inerentes às constantes actualizações do Firefox, as versões ESR (Extended Support Release), vão passar à prática.
A necessidade desta versão advém da necessidade que foi expressa por muitos utilizadores, a maioria administradores de sistemas em empresas e de vários organismos que se viam confrontados com problemas resultantes das constantes actualizações do Firefox.
Muitas vezes essas actualizações limitavam a utilização de sites desenvolvidos para versões específicas do Firefox ou levavam a que extensões criadas ou desenvolvidas com intuitos específicos deixassem de funcionar por alterações de código ou por simples verificações da versão do Firefox.
A primeira versão deste Firefox, o ESR (Extended Support Release), irá ser disponibilizada com o lançamento da versão 10, esperada já no final deste mês. O alvo desta versão são as empresas, instituições públicas, universidades e todas as organizações que fazem a gestão centralizada do Firefox.
Esta versão terá um ciclo de desenvolvimento próprio e garantirá a todos os que a usam pelo menos 12 meses de suporte e desenvolvimento sem alterações significativas. ao fim desse período será disponibilizada uma nova versão.
Sempre que for lançada uma nova versão do Firefox ESR, a Mozilla compromete-se a continuar a disponibilizar actualizações para a versão anterior por 12 semanas, o que permite que sejam realizadas as alterações necessárias pelos administradores das empresas ou de quem desenvolve as aplicações.
Esta versão do Firefox vai ser desenvolvida em paralelo com as restantes versões mas estará limitada na apresentação de todas as novidades que estão a ser disponibilizadas nas novas versões. Apenas as actualizações de segurança vão ser incorporadas na versão ESR.
Desta forma a Mozilla espera disponibilizar para ambientes que necessitam específicos uma versão mais estável e sem as alterações que provocam os conhecidos problemas que têm afectados os utilizadores nas últimas versões.[via]

Ubuntu 13.10 Saucy Salamander virá com o MIR

Durante o dia de hoje, o mundo Linux assistiu ao anuncio de duas informações antagónicas: Por um ladoJonathan Riddell, do projecto Kubuntu,  referiu que o Mir/XMir não será (ainda) integrado na sua distribuição 
Relativamente ao projecto Ubuntu, a informação é que o Ubuntu 13.10 Saucy Salamander virá com o MIR.

ub_1310

Tal como anunciado  o Ubuntu 13.10 Saucy Salamander virá com o MIR, um novo servidor gráfico, desenvolvido pela Canonical, desenhado para ser rápido, eficiente e transversal a várias versões do Ubuntu (ex. Ubuntu para smartphones/ tablets, desktops, TV, etc). O Mir será o  substituto do X-Window e X.org  e oferecerá uma nova experiência aos utilizadores (de referir que a não adopção do Wayland  – projecto idêntico desenvolvido por um grupo de programadores da Redhat, se deveu a incompatibilidades com os objectivos traçados pela Canonical).
Como objectivo traçado, a equipa de desenvolvimento pretende que o MIR seja totalmente compatível e estável com o Unity 8 (também conhecido como Unity Next), que apenas estará disponível no Ubuntu 14.10 segundo o roadmap divulgado por Olli Ries – Director dos subprojectos Mir e Unity na Canonical 
Para o Ubuntu 13.10, que virá com o Unity 7,  os planos definem que o Mir  estará presente por omissão no sistema, correndo em modo de compatibilidade através do XMir.
Segundo as informações divulgadas no mesmo artigo, o XMir apenas será suportado, aquando do lançamento do Ubuntu 13.10, por drivers open source (Intel, Nouveau e Radeon) .  Os drivers proprietários (Nvidia e ATI) não terão ainda suporte nessa altura, estando previsto que tal venha a acontecer apenas quando o Ubuntu 14.04 for lançado.
Aqui fica uma pequena demonstração do Unity 7, GNOME 3, KDE, Xfce e LXDE a correr sobre o XMir:
O Mir deverá chegar já em finais  Julho aos utilizadores que têm o Ubuntu 13.10 já instalado.

DBCTaskman – Um gestor de tarefas com look Windows 8

O gestor de tarefas do Windows é onde podemos aceder e controlar todos os processos que estão a ser executados no nosso computador. Conseguimos também aí verificar a utilização dos recursos que temos disponíveis e em uso e também vários outros parâmetros do sistema.

O Windows 8 trouxe um gestor de tarefas novo e com uma imagem completamente diferente, onde os utilizadores conseguem aceder de forma mais simples à informação. O DBCTaskman traz para as versões anteriores do Windows esse mesmo novo gestor de tarefas do Windows 8.
DBCTaskman_1


Toda a informação que têm actualmente no gestor de tarefas do Windows vão poder ter também no DBCTaskman. O que muda é a forma como essa informação é apresentada e vista.
Tal como no Windows 8 podem ter acesso a duas vistas sobre a informação. A primeira, que é a mais simples e resumida, mostra apenas as aplicações que estão a correr no vosso Windows. Nada mais é disponibilizado pois esta é suposto ser uma vista minimalista.
A segunda vista engloba vários separadores e aí sim, podem obter informação com um elevado grau de detalhe. São 5 separadores onde cada um trata de uma zona do sistema e tem informação própria.
Começamos com os processos e todos os consumos de recursos associados. Se clicarem com o botão direito do rato em qualquer um desses processos vão aceder a um menu com várias opções para os gerirem.
De seguida temos o separador de performance, onde podemos ver na forma de gráficos os consumos de CPU, memória, disco e rede. Existe a possibilidade de acederem directamente monitor de recursos do sistema.
Os processos associados aos utilizadores estão no separador seguinte e aí podemos ver, para cada utilizador, quais os processos que estão a ser executados e os recursos consumidos. Também aqui existe um menu de contexto para gestão dos processos.
Os detalhes, o que significa a totalidade dos processos a correm no Windows, podem ser vistos no separador seguinte e aqui adiciona-se a informação sobre o PID, o estado o utilizador que o lançou e uma descrição do mesmo.
Por fim temos o separador associado aos serviços que estão a correr na máquina. Para além de os poderem verificar também os podem controlar directamente do menu de contexto.
Se já viram ou testaram o gestor de tarefas do Windows 8 e ficaram com vontade de o ter no vosso Windows, então o DBCTaskman é a aplicação que procuravam.
Tem presente toda a informação que podem aceder já pelo gestor de tarefas normal do Windows, mas com a possibilidade de terem uma vista mais limpa e a informação mais arrumada e acessível.
Testem o DBCTaskman e decidam. É uma aplicação portátil e por isso pode ser usada em qualquer lado sem qualquer obrigatoriedade de instalação.
Licença: Freeware
Sistemas Operativos: Windows XP/ Vista/ 7
Download: DBCTaskman 32bits
Download: DBCTaskman 64bits

Ganhe licenças do WebSite X5 Evolution 10

Para aqueles e aquelas que não conhecem, o WebSite X5 pode ser definido como uma ferramenta onde qualquer pessoa pode criar facilmente, e de forma profissional, sites, lojas online e blogs.
Uma das grandes diferenças do WebSite X5 Evolution 10 reside na sua estrutura para criação de um site em apenas 5 passos. Esta estrutura caracteriza o programa e dela acaba por derivar a sua adaptabilidade de uso para diferentes perfis de utilizadores, incluindo mesmo aqueles que não têm conhecimento de programação e web.
Hoje iremos dar a possibilidade de ganharem licenças do WebSite X5 Evolution 10
website_00
O procedimento em cinco etapas e a estrutura intuitiva da interface gráfica são características que se mantêm da versão anterior, estando agora significativamente melhorados.
website-x5-02-pplware
Nesta versão podemos encontrar vários novos recursos que se integram na perfeição com os pontos fortes da versão anterior. Alguns dos recursos destacados da nova versão são:
Geração de código
O WebSite X5 Evolution 10 gera código HTML5 + CSS 2.1/3 e integra a biblioteca JavaScript Jquery. Todos os ficheiros são codificados em UTF8, para dar suporte integral a todos os idiomas. Desta forma, os sites criados com o WebSite X5 Evolution 10 garantem a compatibilidade total, adaptando-se perfeitamente a qualquer tipo de dispositivo, sistema operativo ou geração navegador – um factor muito importante.
website-x5-03-pplware
Compatibilidade com dispositivos móveis
Com o uso do HTML5 na criação dos sites não apenas se garante compatibilidade com navegadores, mas também a exibição e navegação correcta em dispositivos móveis, como tablets e smartphones. Assim, foi desenvolvido um pacote específico com uma colecção de modelos gráficos, o Mobile Template Pack para criação de sites para dispositivos móveis. Basicamente, com o WebSite X5 Evolution 10 os sites não precisam ser duplicados para se obter uma versão móvel: uma vez que o site for criado, o mesmo poderá ser visto tanto no desktop como num tablet ou smartphone num formato adaptado à um ecrã de dimensões menores funcionando todas as configurações correctamente inclusive caso se trate de uma loja online e botões e caixas des Apps des redes sociais, etc. Por outro lado, a navegação também é garantida pela Tecnologia Touch para navegar e aumentar imagens usando apenas os dedos.
website-x5-04-pplware
Interface gráfica
A interface do utilizador foi aperfeiçoada em especial com a pré-visualização durante a selecção de ficheiros, como por exemplo, ao seleccionar uma imagem do PC do utilizador ou da biblioteca do programa. Além disso, novas bibliotecas gráficas foram adicionadas, aumentando as opções para projectar botões e ícones. Tudo junto pode facilitar, e muito, a criação de um projecto, logo mais rápido na obtenção de resultados.
website-x5-05-pplware
Novas funcionalidades multimédia
Foram acrescentados três novos elementos, considerados a aplicar na maioria das páginas: Redes Sociais, Livros de Visitas e Mapa. O elemento redes sociais pode ser usado para incluir botões e caixas para partilhar com aplicativos das principais redes sociais como: Facebook, Twitter, Google+, Pinterest. Com o livro de visitas, ou guestbook, os sites podem permitir comentários e votações nas páginas. E o mapa usa o serviço Google Maps para integrar mapas interativos úteis às páginas.
website-x5-06-pplware
Como habilitar-se a ganhar uma licença do WebSite X5 Evolution 10
Participar neste passatempo é muito simples e apenas têm de cumprir os seguintes requisitos:
  • Adivinhar quantas licenças temos para oferecer? (Valor entre 1 e 10)
  • Indicar no mesmo comentário, porque deve ser o vencedor desta fantástica aplicação.

O passatempo está disponível até dia 30 de Junho, podendo o utilizador participar o numero de vezes que pretender, desde que escreva uma frase diferente por cada participação.

domingo, 16 de junho de 2013

Atualização KB2821895 torna o Windows 8 mais lento

As actualizações do Windows pretendem corrigir problemas e colmatar falhas que por vezes são detectadas neste sistema operativo. São lançadas pela Microsoft periodicamente para tratar desses problemas, mas por vezes trazem novas questões que não são esperadas pelos utilizadores.
O mais recente lote de actualizações do Windows tem nele uma actualização, a KB2821895, que está a ser reportada como a causa de problemas aos utilizadores do Windows 8, RT e Server 2012.
KB2821895_1


Esta actualização está englobada no mais recente lote de actualizações que a Microsoft lançou na passada semana e uma delas está identificada por muitos utilizadores como sendo a causa de um problema que afecta as máquinas onde foi instalado.
Os sintomas reportados revelam que após a instalação dessa actualização e o respectivo reinicio do sistema, as máquinas correm o System File Checker, levando a que o processador atinja uma utilização de 100% e a utilização de memória ultrapassa a utilização normal e que seria esperada.
Este processo decorre durante cerca de meia hora e termina com a mensagem “unable to fix problems” ao mesmo tempo que gera um ficheiro CBS.log com um tamanho anormal.
Ainda não existe uma solução para este problema, para além da não instalação do KB2821895. Existe no entanto uma resolução temporária para este problema.

Esta pode ser conseguida com a execução do seguinte comando numa janela de DOS com privilégios de administrador:
DISM /Online /cleanup-image /RestoreHealth

Ainda não existe uma posição oficial da Microsoft sobre este problema, tendo no entanto sido admitido este problema nos fóruns oficiais da própria Microsoft.
Um dos moderadores desse fórum indicou que a Microsoft está já a analisar o problema e a tentar encontrar uma solução para o mesmo.
Thanks for uploading your log. We’re taking a look at it and we will reply back when we have more information to share
Recomenda-se para já que os utilizadores do Windows 8, RT e Server 2012 que evitem a instalação desta actualização e que aguardem que a Microsoft disponibilize uma versão corrigida do KB2821895.
Este é o segundo caso de problemas com as actualizações do Windows que surge no passado recente. Ainda há poucos meses surgiu uma situação com o KB2823324 que impedia as máquinas com o Windows 7 de arrancarem correctamente.

terça-feira, 11 de junho de 2013

Xbox One: vai ser obrigatório ligar à Net a cada 24 horas


A Microsoft já esclareceu as obrigações da próxima Xbox e alguns dos rumores eram verdadeiros.


Segundo o The Verge a Microsoft já confirmou que a Xbox One irá precisar de ligar-se à Internet a cada 24 horas para que os jogos possam continuar a funcionar. “Não é possível jogar offline depois destes períodos de tempo até que a ligação seja restabelecida”, pode ler-se num comunicado da Microsoft. A empresa explica ainda que as contas podem ser usadas noutras consolas Xbox One para aceder a bibliotecas digitais mas que, nestes casos, será necessário uma ligação à Internet de hora a hora.

Relativamente aos jogos usados, a empresa diz que não cobra dinheiro para permitir a venda de jogos usados e que as editoras podem optar por permitir a venda de jogos. Todavia, as editoras são também livres de não permitir esta funcionalidade ou de cobrar uma taxa por este processo.
No que toca a empréstimos, os jogadores são livres de emprestar um título a um amigo desde que este faça parte da lista de amigos da Xbox há pelo menos 30 dias. Todavia, os jogos só podem ser emprestados uma vez.
Relativamente às preocupações com a privacidade por causa do Kinect, a Microsoft diz que o sensor só ouve um comando de voz quando a consola está desligada: “Xbox on”. Tudo o resto é ignorado e, em qualquer dos casos, podemos desligar esta funcionalidade por completo.

Antivírus para Android são pouco eficientes

Segundo Yan Chen, professor na Northwestern University, há programas de protecção que podem ser iludidos com técnicas simples de ofuscação, que nem sequer implicam grandes conhecimentos de programação.
Os antivírus investigados não resistiram a seis dos vírus mais conhecidos. Os investigadores injectaram os vírus com pequenas alterações, como  nome diferente, código binário alterado ou simplesmente com um comando para se assemblar de uma forma distinta. Estas alterações resultaram em dezenas de vírus diferentes que foram testados e que conseguiram efectivamente infectar as máquinas, noticia o Phys.org.  
A facilidade em enganar os programas de antivírus pode residir no facto de estes software analisarem apenas as assinaturas dos vírus. A solução pode passar por analisarem modelos estatísticos sofisticados de análise, como faz um dos produtos testados.

Oficial: Windows 8.1 vai ter boot para iniciar para desktop


É uma das maiores críticas feitas ao Windows 8 e a Microsoft vai corrigi-la na primeira actualização: o Windows 8.1 já vai permitir arrancar directamente o computador para o ambiente de trabalho. A actualização, com o nome de código Blue, vai permitir mais operações de personalização por parte dos departamentos de IT das empresas, como um maior controlo do ecrã Start, o arranque para apps proprietárias ou alterar definições de visualização. O objectivo passa por fornecer as ferramentas para que os departamentos de IT possam bloquear todas as funcionalidades que não queiram que o utilizador tenha disponíveis e transformar as máquinas em quiosques de uso limitado, explica o ArsTechnica.

Para incentivar os ambientes de Bring Your Own Device, ou Traga o Seu Equipamento, a Microsoft preparou um domínio chamado Workplace Join onde coabitam máquinas certificadas pelas empresas e máquinas pessoais dos trabalhadores, com compromissos de ambas as partes. A actualização 8.1 vai permitir uma utilização facilitada de VPN e uma maior partilha de ligações de banda larga.
A preview do Windows 8.1 chega ainda no final deste mês.

SmartPower 1.5.1 – Gestão de energia inteligente

Todo o tempo que o nosso computador fica ligado sem estar a processar ou a recolher informação da Internet é tempo que está a consumir energia sem necessidade e a consumir recursos e o nosso dinheiro.
Devemos ter a capacidade de dar autonomia à nossa máquina para que mediante condições específicas possa desligar-se e assim poupar os recursos que consome sem necessidade. O SmartPower tem essa capacidade, e de forma muito simples.


O SmartPower permite que controlem a vossa máquina mediante várias condições possíveis. Podem escolher de um leque de seis categorias possíveis e ajustar as condições necessárias para o manterem ligado.
Qualquer uma destas categorias permite que afinem e definam os valores que devem ser respeitados para a máquina ser mantida ligada.
Podem sempre interligar essas categorias para que tenham uma maior possibilidade de controlo. Sempre que um desses valores é atingido, a vossa máquina entra no processo que indicaram que desejavam.
Na interface do SmartPower podem definir se pretendem que a vossa máquina hiberne, entre em suspensão ou se desligue.
Da mesma forma que o SmartPower pode colocar a vossa máquina sem estar a consumir energia, pode também acordá-la à hora que entendam ou mediante outra qualquer medida.
Algo que achei inovador no SmartPower e que ainda não tinha visto em softwares similares foi a capacidade de detectar outras máquinas ligadas e manter a vossa máquina ligada enquanto esta situação se mantiver.
As outras possibilidades de filtragem no SmartPower passam pela utilização da placa de rede, a inactividade dos utilizadores, a utilização do CPU ou a presença de certos processos.
Podem ainda definir que serviços ou scripts devem ser executados antes de o SmartPower entrar em acção.
Esta versão do SmartPower tem algumas novidades interessantes. Vejamos quais:
  • Nova funcionalidades “power requests”
  • Adicionado suporte para tratamento de eventos completos
  • Adicionada ajuda na ferramenta de configuração
  • Melhorada a monitorização da utilização da rede para que esteja disponível a média dos últimos 60 segundos
  • Resolução e vários bugs que afectavam o SmartPower
Usem o SmartPower para manterem a vossa máquina ligada apenas nos momentos que realmente necessitam, evitando assim estarem a consumir energia desnecessariamente.
Para além de pouparem a vossa máquina conseguem ainda poupar a vossa carteira. Testem o SmartPower e depois vejam a diferença.
Licença: Freeware (para uso pessoal)
Sistemas Operativos: Windows XP/ Vista/ 7/ 8
Download: SmartPower 1.5.1 [285KB]
Homepage: SmartPower

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Anonymous publicam documentos secretos norte-americanos

A reação dos Anonymous ao escândalo de espionagem da NSA não se fez esperar.


O Anonymous publicou na Internet um conjunto de 13 documentos da National Security Agency (NSA) na sequência das últimas revelações sobre a atividade de espionagem da agência norte-americana. Diz o Gizmondo que os documentos revelam a visão estratégica da NSA para controlar a Internet e que parecem estar sobretudo relacionados com a operação PRISM.


Um dos destaques do tipo de informações presentes no documento diz respeito à existência de uma rede de partilha de informações de espionagem, que partilha os dados obtidos pela PRISM com parceiros da NSA em todo o mundo.


Como habitual, os documentos foram disponibilizados no Pastebin.


Recorde-se que tudo começou com uma história nos jornais americanos sobre o facto de a Verizon, uma empresa de telecomunicações, estar obrigada a entregar os registos telefónicos dos seus clientes à NSA. Entretanto, ficou-se a saber que esta operação era muito maior do que inicialmente se pensava e que não se resume aos registos telefónicos. Aparentemente, a NSA tem vindo ao longo dos últimos anos a recolher informações dos gigantes da tecnologia norte-americanos, como Facebook, Microsoft, Yahoo, Google, YouTube, Skype e Apple, entre outras. Neste rol de espionagem também se encontram as principais operadoras de telecomunicações, como a Verizon, AT&T e Sprint.

--> Apresentado o primeiro vídeo oficial do novo Windows 8.1

A chegada da nova versão do Windwos 8 está para muito breve. Será já no dia 26 que será disponibilizada a todos a preview do Windows 8.1 e será nessa altura que vão ser conhecidas todas as novidades que a Microsoft tem preparadas para este seu novo sistema operativo.
Algumas destas novidades tinham sido já reveladas pela Microsoft, mas agora foi disponibilizado um vídeo, o primeiro, onde podemos ver o Windows 8.1.


Neste primeiro vídeo, apresentado por Jensen Harris, são mostradas, ao vivo e a cores, algumas das novidades que foram apresentadas há alguns dias.
São percorridas em detalhe e com interacção as novidades que vão ser incorporadas no Windows 8.1 e a que todos os utilizadores vão poder aceder em breve de forma gratuita.
Podemos ver o ecrã de bloqueio a mostrar as vossas fotos, quer elas estejam locais ou no SkyDrive, ou a nova aplicação de pesquisa que se integra com o Bing e com a pesquisa local.
A forte presença do SkyDrive e a forma como este se integra com o Windows 8.1, como se fosse um serviço local, é também mostrada.
Claro que, de forma discreta e não directa, está também visível o regresso do menu Iniciar, na sua nova forma. Basta que o procurem e vão com certeza encontrar.
Vai ser já no próximo dia 26 que a Microsoft vai trazer ao mundo a actualização do Windows 8. Não se vai limitar a ser um update mas sim um sistema operativo muito diferente e com as alterações que os seus utilizadores pediram e necessitam.
Site oficial -> Windows

PS:Este artigo não viola os direitos de autor

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Desactive aplicações do arranque do Windows 8

Muitos utilizadores costumam avaliar a performance da sua máquina com a rapidez com que esta arranca inicialmente com o sistema operativo. Lembro-me que o Windows 8 prometia um tempo de boot super sónico (tirando partido dos processadores multi-core, discos SSD e tecnologia UEFI) mas a verdade é que, com a utilização do sistema/instalação de aplicações, passados alguns meses,  o sistema, tal como os anteriores,  começa a demorar “tempos infinitos” no arranque do sistema.
Como resolver esta questão?
w8_a6
A dica é simples. Se além do sistema operativo a máquina tem de carregar, no arranque, aplicações e serviços então é por aí que temos de atacar. As mudanças das versões anteriores do Windows  para o Windows 8 não foram assim tão radicais, apesar da interface ter sofrido algumas (pequenas) alterações.
Como desactivar aplicações e serviços no Windows 8?
Para aceder ao menu de startup do sistema operativo, basta carregar na tecla Windows + X  e depois escolher Task Manager
w8_a1
Depois carregamos em More details
w8_a2
Dentro do Task Manager temos os separadores Startup e Services
w8_a3
Considerando que pretendemos desactivar algumas das aplicações do arranque do sistema, basta selecionar a aplicação e carregar em Disable. Vamos considerar que não pretendemos que o Dropbox arranque com o sistema operativo (selecionar Dropbox > Carregar em Disable).
w8_a4
Para quem pretender desactivar/adicionar mais rapidamente as aplicações do arranque, basta ir a C:\Users\<user>\AppData\Roaming\Microsoft\Windows\Start Menu\Programs\Startup  e remover ou adicionar atalhos das aplicações.
w8_a5


De referir que o “velhinho” msconfig é agora um estilo de atalho para a Task Manager. Para verificar se o tempo de arranque melhorou, podem usar esta dica:  Saiba o tempo de arranque e fecho do seu Windows. O processo para os serviços é idêntico.