sábado, 14 de janeiro de 2012

Origem do nome dos navegadores


Internet Explorer

Em 1995, a internet era algo novo para praticamente todo mundo. Por isso, explorar o que ela tinha de melhor era uma tarefa árdua e a proposta do navegador era facilitar esse processo. A Microsoft partiu para um nome simples, mas eficiente. O termo “explorer” é de fácil entendimento também em outros idiomas e, por muitos anos, o aplicativo foi o mais utilizado na web.

Chrome

A paixão por carros de um dos designers da Google fez com que o navegador tivesse esse nome. Pode não parecer óbvio, mas a escolha foi feita por ele porque ao ouvir o termo “chrome” o designer associava o termo com carros de alta velocidade. Como ninguém estava satisfeito com os nomes utilizados até então no projeto, o termo foi adotado e se mostrou uma escolha acertada.

Mozilla

No caso da Fundação Mozilla, vale a pena fazer uma distinção entre os termos “Mozilla e “Firefox”. A palavra que dá origem ao nome da fundação foi utilizado como um código interno ainda durante o desenvolvimento do Netscape Navigator. O nome é propriedade de Jamie Zawinski e é uma combinação das palavras “mosaic” (mosaico, em português) e “killer” (assassino, em português).

Firefox

Inicialmente, o Firefox se chamaria Phoenix, mas por problemas legais a Fundação Mozilla precisou trocar o seu nome logo após o lançamento. A segunda opção foi Firebird, mas o nome também estava indisponível. Então, após consultar seus advogados, a fundação decidiu usar o nome de Firefox, um panda vermelho que nada tem a ver com os nomes anteriores.

Safari

A Apple adorou nomes como Panther, Lion, Snow Leopard e Tiger em suas versões de sistema operacional. Qual seria o melhor nome para indicar um aplicativo que permitisse aos consumidores circular em meio a tantas feras? A escolha do nome Safari acabou sendo uma opção natural para a empresa.

Opera

São várias as razões que levaram à escolha do nome Opera. O termo “opera” é igual em diversas partes do mundo e este é um termo bastante enraizado nas mais diversas culturas. Além disso, óperas costumam ser refinadas e de qualidade, ideal perseguido pelos desenvolvedores do browser. Por fim, óperas são uma opção de entretenimento, função que um navegador deve cumprir com maestria.